Ética é o conjunto de valores, ou padrões, a partir dos quais uma pessoa entende o que seja certo ou errado e toma decisões. A ética é importante por que respeita os outros e a dignidade humana.
Sexta-feira, 30 de Março de 2012
Uma praça de touros contra as touradas

A praça de touros de Viana do Castelo pode ser um “mural contra a tauromaquia”. Quem o diz é Tiago Arieira, um dos responsáveis pelo Movimento Viana Anti-touradas

Revitalizar o exterior da praça de touros de Viana do Castelo é a proposta do movimento Viana Anti-touradas. “Queremos fazer um mural anti-touradas nas paredes exteriores da praça, para a transformar num ponto de atracção na cidade e levar as pessoas a olhar para este espaço de outra forma”, afirma Tiago Arieira, arquitecto que lançou o projecto em colaboração com a designer Cátia Lages.

Desde a aquisição pela Câmara de Viana do Castelo, em 2008, já foram pensados vários fins para a antiga praça, como a transformação num Museu de Ciência Viva ou na sede de um Centro do Mar. Contudo, nenhuma destas ideias avançou, o que despertou a imaginação do movimento vianense.

“Pensámos em aproveitar o facto de Viana ser a primeira cidade antitouradas do país, pegar num espaço que não está a ser usado e dar-lhe uma nova utilidade.” Com este ponto de partida, Tiago Arieira assume a vontade de “dar visibilidade à causa anti-tauromáquica e criar uma dinâmica que permitiria levar o nome da cidade além fronteiras”.

Concurso internacional
Para concretizar o mural e dar-lhe visibilidade fora de portas, o movimento ambiciona promover um concurso internacional em que é solicitado um projecto artístico “em prol dos animais e contra as touradas, mas de uma forma positiva”. “Queremos projectos com referências artísticas mas com uma carga positiva, à semelhança do nosso logótipo em que aludimos a um beijo entre o toureiro e o animal”, salienta Tiago Arieira .

O co-responsável pelo movimento realça ainda a ambição de transfigurar a antiga praça de touros num auditório para eventos opostos daqueles para que os quais foi construído: “Um edifício que foi desenhado com um objectivo [touradas] seria transformado num edifício referência contra a tauromaquia".

Viana Anti-touradas quer explorar de uma forma artística a reacção do público ao seu projecto. É uma iniciativa que une a arquitectura e o design e que procura surpreender, até na forma de obter apoios para a sua causa. Tiago Arieira refere que, numa primeira fase, o esforço passa pela divulgação da ideia do mural na Internet, que irá permitir uma maior “visibilidade” do movimento e, posteriormente, facilitar os “contactos directos com a Câmara e outras entidades que estejam interessadas em apoiar o projecto”.

Fonte do gabinete de imprensa da Câmara de Viana do Castelo confirmou ao P3 que, actualmente, a praça de touros não tem nenhum projecto definido, sendo um espaço que está a aguardar melhores dias, nomeadamente em termos financeiros. Sobre a proposta do movimento Viana Anti-touradas, a mesma fonte revelou que o executivo está receptivo para conhecer a iniciativa.

O mural anti-touradas na praça de touros de Viana do Castelo é um projecto que se afirma independente, sem fins lucrativos e que procura chamar a atenção da comunidade para a problemática das touradas, ao mesmo tempo que visa a dinamização da vida cultural da cidade minhota. Tiago Arieira espera que o projecto idealizado seja um marco importante da 1ª edição da Bienal de Arte, Arquitectura e Design de Viana do Castelo, que está prevista para Setembro de 2012.


Fonte



Para que serve a praça de touros da primeira cidade antitouradas do país?
22.08.2011
A praça de touros de Viana do Castelo foi inaugurada em 1948
A praça de touros de Viana do Castelo foi inaugurada em 1948
Três anos depois de ter sido adquirida pela Câmara de Viana do Castelo, a antiga praça de touros está abandonada e a degradar-se, convertendo-se num problema para o município, que, em 2009, fez história ao transformar-se na primeira "cidade antitouradas" de Portugal.

Quando a praça foi comprada, em 2008, por pouco mais de cinco mil euros, o objectivo era transformá-la em Museu de Ciência Viva. Mais tarde, foi apontada como sede do futuro Centro de Mar. Recentemente, ficou sem destino, depois de o município ter decidido que o equipamento destinado a promover as actividades ligadas ao mar ficaria, afinal, no navio Gil Eannes (ver texto ao lado).

O presidente da Câmara de Viana, José Maria Costa, reconhece que, nesta altura, "não há uma ideia clara" para o espaço. Acrescenta que tem "várias hipóteses em cima da mesa" que prefere não revelar, "por não estarem suficientemente amadurecidas". "É um processo que está em avaliação e cuja decisão será sustentada no próprio desenvolvimento da cidade e das necessidades de equipamentos", acrescenta o autarca sobre o futuro da praça.

Situada na margem direita do rio Lima, no Parque da Cidade, a antiga praça de touros, inaugurada em 1948, é considerada, nos meios artísticos da cidade, como um espaço cuja localização tornaria ideal para receber grandes eventos culturais. Para David Martins, músico e produtor de eventos como o Festival de Jazz de Viana do castelo, que este ano assinalou o 20.º aniversário, o redondel seria "uma excelente sala de produção teatral" que poderia servir "as mais variadas expressões artísticas, desde a dança, ao teatro, música e até ao circo, por se tratar de um chapitô natural".

David Martins sustenta que a antiga praça necessita apenas de uma reavaliação de conceito. Defende que faria mais sentido que o conceito de espaços multiusos, actualmente associado ao Coliseu projectado por Souto Moura, que está em construção na frente ribeirinha da cidade, fosse reservado à praça de touros. "A praça tem mais valências para ser sala multiusos do que o pavilhão que está a ser construído com essa designação", afirma.

Segundo este produtor, o Coliseu, cujas obras pararam em Fevereiro por falta de dinheiro, devendo ser retomadas em Setembro, deveria ver o programa alterado e funcionar como auditório, com pouco mais de mil lugares, para espectáculos de média dimensão. David Martins observa que, assim, ainda com o Teatro Sá de Miranda, que tem 400 lugares, a cidade "ficaria servida com três tipos de salas para eventos de diferentes dimensões".

O produtor acredita que, mais do que de "vontade política", a falta de financiamento "poderá inviabilizar" este tipo de solução. Que "não morreria por falta de público em Viana", garante. "O problema, como noutras zonas do país, é a falta de verba para garantir uma programação contínua", sublinha.

Entre os empresários do concelho, considera-se que uma solução para a praça de touros poderia muito bem passar pela readaptação a centro de feiras e exposições. No entanto, o presidente da Associação Empresarial de Viana do Castelo, Luís Ceia, lembra que essa já é uma função atribuída ao pavilhão da Associação Industrial do Minho (AIMinho), no Campo da Agonia e será também uma das valências do Coliseu de Souto Moura, futuro Centro Cultural de Viana do Castelo.

Quando abrir portas, este equipamento estará preparado para acolher todo o tipo de eventos culturais de âmbito regional, para promoção do turismo, dos produtos tradicionais, do património e da cultura, além de provas desportivas. Eventos ligados à moda, mostras de cinema e vídeo, exposições náuticas foram já propostas anunciadas pela câmara para preencher a programação do Centro Cultural.

Em 2009, o ex-candidato à Presidência da República Defensor Moura, então presidente da Câmara de Viana, anunciou um projecto de reconversão da praça de touros, inaugurada há 62 anos, num Museu de Ciência Viva. Defensor Moura foi também responsável pela proibição de qualquer espectáculo tauromáquico em espaços públicos e privados do município. Na altura, a ideia era criar uma estrutura semelhante ao Museu do Homem, da Corunha, na Galiza. Esse museu funcionaria em articulação com o parque ecológico urbano, mesmo ao lado, com os seus cerca de 23 hectares, a montante da ponte Eiffel, na zona da caldeira de marés das antigas Azenhas D. Prior, junto ao rio Lima.No entanto, quando José Maria Costa, que integrava a vereação de Defensor Moura, chegou à presidência da câmara, o projecto foi considerado desadequado, face à intenção do novo executivo de dar "grande visibilidade" às actividades ligadas ao mar, para dinamizar esse sector económico.

O projecto do Centro de Mar começou então a ganhar forma. Foi elaborado pela Sociedade de Avaliação de Empresas e Risco e chegou a ser anunciada a sua instalação no antigo redondel. Contudo, uma nova reavaliação do processo acabou por eleger o navio Gil Eannes como sede do Centro de Mar, dada a sua proximidade à futura marina Atlântica e aos três centros náuticos de recreio que estão orçados em 5,1 milhões de euros e que vão começar a ser construídos no próximo ano.


publicado por Maluvfx às 07:04
link do post | comentar | favorito
 O que é? |

Quarta-feira, 28 de Março de 2012
Quadro de Compatibilidades e Incompatibilidades dos Alimentos


LEGENDA


C – compatível
I – incompatível
T – tolerável


Fa – Fruta ácida
Fd – Fruta doce
Fs – Fruta seca
Fo – Fruta oleaginosa
Ce – Cereais
V – Vegetais
F - Feijão
G - Grão
L – Leguminosas (lentilhas, soja, etc)
C – Cogumelos
Q – Queijo seco
R – Requeijão e queijo fresco
Ca – Castanhas
M – Mel e melaço de Cana
Ma – Malte
Li – Lípidos (gorduras)
Cu – Cebola crua
Cc – Cebola cozida
B – Batata
Ge – Gema de ovo

Nota: São compatíveis com todos os alimentos – maçã doce – gema de ovo – chufa




publicado por Maluvfx às 06:13
link do post | comentar | favorito
 O que é? |

Segunda-feira, 19 de Março de 2012
Dia Mundial Sem Carne
O Dia Mundial sem Carne é um evento internacional, promovido pela FARM (Farm Animal Reform Movement), e seu objetivo é mostrar para a população em geral que é possível viver de forma saudável e prazerosa sem fazer uso de alimentos de origem animal. E que esta opção oferece inúmeras vantagens, tanto para o indivíduo quanto para o planeta. 
Farm

Veja:

Saúde
Quem não come carne corre menos riscos de sofrer distúrbios do coração, de contrair câncer (especialmente de cólon e do intestino) e de enfrentar problemas como obesidade, hipertensão e diabetes. E também fica livre das doenças diretamente relacionadas ao consumo da carne, tais como a salmonela, a toxoplasmose, a gripe do frango e a doença da vaca louca, que já fizeram milhares de vítimas no mundo todo.

Meio ambiente
Florestas inteiras são devastadas para darem lugar a pastos. A emissão de gás metano, expelido pelo gado bovino, é uma das principais causas de poluição do ar e da destruição da camada de ozônio. Além disso, a indústria da carne é a maior poluidora das águas e destruidora do solo. Essa devastação pode comprometer de maneira irreversível a sobrevivência das gerações futuras!

Fome mundial
A maior parte dos grãos e da soja produzidos hoje no planeta destina-se à produção de rações utilizadas na engorda dos animais de corte. Se estes grãos fossem usados diretamente na alimentação humana, haveria comida mais do que suficiente para todas pessoas do mundo. Parece utopia, mas não é: acabar com a fome é possível!



Respeito aos animais
Porcos, vacas, galinhas, perus, peixes, coelhos, cabritos... Todos estes animais, destinados majoritariamente ao abate, são sensíveis e inteligentes. Estudos científicos recentes comprovam: eles experimentam emoções como o medo e a angústia e sentem dor exatamente como nós, seres humanos. Ainda assim, todos os anos, a indústria da carne submete bilhões de animais a maus tratos, confinamento, manejo brutal e morte cruel. Será que isso está certo?


[Error: Irreparable invalid markup ('<a [...] www.meatout.org>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

<div class="separator" style="clear: both; margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px; text-align: center;"><span class="Apple-style-span" style="clear: left; float: left; font-size: small; margin-bottom: 1em; margin-right: 1em;"><span style="font-family: inherit;"><img border="0" src="http://1.bp.blogspot.com/_1NG8bdbP2xE/S5voXTYK1VI/AAAAAAAAA68/ovmpRmE-0jQ/s320/diamundialsemcarne.jpg" /></span></span></div><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span style="font-family: inherit; line-height: 20px; text-align: justify;">O <b>Dia Mundial sem Carne</b> é um evento internacional, promovido pela </span><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d; font-family: inherit; line-height: 20px; text-align: justify;"><b>FARM</b></span><span style="font-family: inherit; line-height: 20px; text-align: justify;"> (</span><i style="font-family: inherit; line-height: 20px; text-align: justify;"><a href="http://www.farmusa.org/">Farm Animal Reform Movement</a></i><span style="font-family: inherit; line-height: 20px; text-align: justify;">), e seu objetivo é mostrar para a população em geral que é possível viver de forma saudável e prazerosa sem fazer uso de alimentos de origem animal. E que esta opção oferece inúmeras vantagens, tanto para o indivíduo quanto para o planeta. </span></div><div align="left" style="margin-bottom: 0cm; margin-right: 5px; margin-top: 0px; text-align: justify;"><div style="font-weight: bold; line-height: 21px; margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-weight: normal; line-height: 20px;"><span class="Apple-style-span" style="color: #444444;"><span class="Apple-style-span" style="color: black; font-weight: bold; line-height: 21px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;"><img alt="Farm" height="51" src="http://www.farmusa.org/Banners/BNRFARM(234x60).jpg" width="200" /></span></span></span></span></div><div style="font-weight: bold; line-height: 21px; margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-weight: normal; line-height: 20px;"><span class="Apple-style-span" style="color: #444444;"><span class="Apple-style-span" style="color: black; font-weight: bold; line-height: 21px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;"><img height="51" src="http://www.farmusa.org/Banners/MOJoin234X60.gif" width="200" /></span></span></span></span><br /><span class="Apple-style-span" style="font-weight: normal; line-height: 20px;"><span class="Apple-style-span" style="color: #444444;"><span class="Apple-style-span" style="color: black; font-weight: bold; line-height: 21px;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="color: #444444; font-family: inherit; font-weight: normal; line-height: 20px;">Veja:</span></span></span></span></span></div><div style="font-weight: bold; line-height: 21px; margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="color: #444444;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-weight: normal; line-height: 20px;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><br /></span> </span></span></div><div style="font-weight: bold; line-height: 21px; margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-weight: normal; line-height: 20px;"><strong><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">Saúde</span></span></strong><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><br />Quem não come carne corre menos riscos de sofrer distúrbios do coração, de contrair câncer (especialmente de cólon e do intestino) e de enfrentar problemas como obesidade, hipertensão e diabetes. E também fica livre das doenças diretamente relacionadas ao consumo da carne, tais como a salmonela, a toxoplasmose, a gripe do frango e a doença da vaca louca, que já fizeram milhares de vítimas no mundo todo.</span></span></div><div style="font-weight: bold; line-height: 21px; margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-weight: normal; line-height: 20px;"><span class="Apple-style-span" style="color: #444444;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><br /></span> </span><strong><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">Meio ambiente</span></span></strong><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><br />Florestas inteiras são devastadas para darem lugar a pastos. A emissão de gás metano, expelido pelo gado bovino, é uma das principais causas de poluição do ar e da destruição da camada de ozônio. Além disso, a indústria da carne é a maior poluidora das águas e destruidora do solo. Essa devastação pode comprometer de maneira irreversível a sobrevivência das gerações futuras!</span></span></div><div style="font-weight: bold; line-height: 21px; margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-weight: normal; line-height: 20px;"><span class="Apple-style-span" style="color: #444444;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><br /></span> </span><strong><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">Fome mundial</span></span></strong><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><br />A maior parte dos grãos e da soja produzidos hoje no planeta destina-se à produção de rações utilizadas na engorda dos animais de corte. Se estes grãos fossem usados diretamente na alimentação humana, haveria comida mais do que suficiente para todas pessoas do mundo. Parece utopia, mas não é: acabar com a fome é possível!</span></span><br /><span class="Apple-style-span" style="font-weight: normal; line-height: 20px;"><span class="Apple-style-span" style="color: #444444;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;"><br /></span></span></span></div><div style="font-weight: bold; line-height: 21px; margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><a href="http://2.bp.blogspot.com/_1NG8bdbP2xE/S5wmHVcmvJI/AAAAAAAAA7U/_GVAPOZLh1k/s1600-h/1195991102_f.jpg" imageanchor="1" style="clear: left; float: left; margin-bottom: 1em; margin-right: 1em;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;"><img border="0" height="370" src="http://2.bp.blogspot.com/_1NG8bdbP2xE/S5wmHVcmvJI/AAAAAAAAA7U/_GVAPOZLh1k/s400/1195991102_f.jpg" width="400" /></span></a><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-weight: normal; line-height: 20px;"><span class="Apple-style-span" style="color: #444444;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><br /></span> </span><strong><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">Respeito aos animais</span></span></strong><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><br />Porcos, vacas, galinhas, perus, peixes, coelhos, cabritos... Todos estes animais, destinados majoritariamente ao abate, são sensíveis e inteligentes. Estudos científicos recentes comprovam: eles experimentam emoções como o medo e a angústia e sentem dor exatamente como nós, seres humanos. Ainda assim, todos os anos, a indústria da carne submete bilhões de animais a maus tratos, confinamento, manejo brutal e morte cruel. Será que isso está certo?</span><i><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><br /></span> </i></span></div></div><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><br /></span> </span></div><div style="line-height: 21px; margin-bottom: 0.21cm; margin-right: 5px; margin-top: 0px; text-align: justify;"></div><div align="justify" style="line-height: 21px; margin-bottom: 0cm; margin-left: 0.05cm; margin-right: 0.01cm; margin-top: 0px; text-align: justify;"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><div class="separator" style="clear: both; text-align: center;"></div><div class="separator" style="clear: both; text-align: center;"></div><div class="separator" style="clear: both; text-align: center;"></div><a href="http://universoalimentos.blogspot.com/2010/03/conheca-o-projeto-meatoutorg.html" http:="" style="clear: right; float: right; margin-bottom: 1em; margin-left: 1em;" www.meatout.org=""><span style="color: black; font-family: inherit;"><img border="0" src="http://4.bp.blogspot.com/_1NG8bdbP2xE/S5wnohgLZMI/AAAAAAAAA7k/VjmHfNjEfDE/s320/MeatOUT1.jpg" /></span></a><a href="http://4.bp.blogspot.com/_1NG8bdbP2xE/S5wnohgLZMI/AAAAAAAAA7k/VjmHfNjEfDE/s1600-h/MeatOUT1.jpg" imageanchor="1" style="clear: right; float: right; margin-bottom: 1em; margin-left: 1em;"><span class="Apple-style-span" style="color: black; font-family: inherit; font-size: small;"></span></a><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;">Iniciativa lançada nos EUA em 1985 pela <a href="http://www.farmusa.org/">FARM</a> (Farm Animal Reform Movement), <a href="http://www.meatout.org/">Dia Mundial Sem Carne</a></span><br /><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;"> é actualmente uma das maiores campanhas de sensibilização à dieta vegetariana realizada a nível mundial.</span></div></div><div align="justify" style="font-style: normal; line-height: 21px; margin-bottom: 0cm; margin-right: 5px; margin-top: 0px; text-align: justify;"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;">Neste dia, as pessoas são convidadas a fazer uma alimentação alternativa, à base de vegetais e frutas e sem a ingestão de qualquer tipo de carne ou peixe. É a celebração da chegada da Primavera de uma forma diferente.</span></div></div><div style="line-height: 21px; margin-bottom: 0cm; margin-right: 5px; margin-top: 0px; text-align: justify;"><div class="separator" style="clear: both; margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px; text-align: center;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;"><a href="http://2.bp.blogspot.com/_1NG8bdbP2xE/S5vob4TZpZI/AAAAAAAAA7E/UzdaCAIGzNM/s1600-h/2055666596_178876faf1_o.jpg" imageanchor="1" style="margin-left: 1em; margin-right: 1em;"></a></span></div><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit;"></span></span></div><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;"><br /></span></div><div style="font-weight: bold; line-height: 21px; margin-bottom: 0cm; margin-right: 5px; margin-top: 0px; text-align: justify;"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;">Vantagens de uma alimentação sem carne:</span></div></div><ul style="margin-bottom: 0px; margin-top: 5px; text-align: left;"><li style="line-height: 21px; margin-bottom: 14px; margin-right: 5px; margin-top: 0px; text-align: justify; text-indent: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;">Diminui o colesterol, reduzindo assim o risco de desenvolver doenças cardíacas, como um ataque cardíaco ou aterosclerose;</span></li><li style="line-height: 21px; margin-bottom: 14px; margin-right: 5px; margin-top: 0px; text-align: justify; text-indent: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;">Ajuda na prevenção do cancro, diabetes, obesidade e outras doenças crónicas;</span></li><li style="line-height: 21px; margin-bottom: 14px; margin-right: 5px; margin-top: 0px; text-align: justify; text-indent: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;">Evita que os animais sejam capturados, enclausurados, torturados, drogados e abatidos de forma agonizante.</span></li><li style="line-height: 21px; margin-bottom: 14px; margin-right: 5px; margin-top: 0px; text-align: justify; text-indent: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;">Preserva as fontes de produção de alimentos e água utilizadas na alimentação dos animais, permitindo assim alimentar a fome mundial;</span></li><li style="line-height: 21px; margin-bottom: 14px; margin-right: 5px; margin-top: 0px; text-align: justify; text-indent: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;">Diminui a poluição gerada pela utilização de pesticidas e adubos e libertação de gás metano (produzido pela fermentação do adubo orgânico) e gás de amónia (produzido pelo excremento dos animais);</span></li><li style="line-height: 21px; margin-bottom: 14px; margin-right: 5px; margin-top: 0px; text-align: justify; text-indent: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;">Aumenta o nosso nível de energia, tornamo-nos então mais felizes e saudáveis.</span></li></ul><div align="justify" style="line-height: 21px; margin-bottom: 0cm; margin-right: 5px; margin-top: 0px; text-align: justify;"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;"> </span></div></div><div align="justify" style="line-height: 21px; margin-bottom: 0cm; margin-right: 5px; margin-top: 0px; text-align: justify;"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit;"><b><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">O que se pode fazer neste dia</span></b><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">:</span></span></div></div><ul style="margin-bottom: 0px; margin-top: 5px; text-align: left;"><li><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; line-height: 21px;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">Convidar a família ou amigos para ir a um restaurante vegetariano (descubra o restaurante mais próximo </span><a href="http://www.centrovegetariano.org/index.php?destin=restaurants"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">aqui</span></a><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"> </span><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">);</span></span></li><li><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; line-height: 21px;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">Levar uns petiscos vegetarianos para o trabalho ou para a escola, para partilhar com os seus colegas (em </span><a href="http://www.centrovegetariano.org/receitas"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">receitas</span></a><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"> encontra muitas sugestões de receitas);</span></span></li><li><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; line-height: 21px;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">Distribuir folhetos sobre as vantagens de uma alimentação vegetariana (pode descarregar alguns exemplos </span><a href="http://www.centrovegetariano.org/index.php?cat_id=106"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">aqui </span></a><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">);</span></span></li><li><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; line-height: 20px;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">Assistir a um documentário que faça você refletir sobre as consequências do consumo de carne (</span><a href="http://cantinhovegetariano.blogspot.com/2007/05/terraqueos.html" style="text-decoration: none;" target="_blank"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">Terráqueos</span></a><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">, </span><a href="http://cantinhovegetariano.blogspot.com/2007/05/carne-e-fraca.html" style="text-decoration: none;" target="_blank"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">A Carne é Fraca</span></a><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">);</span></span></li><li><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; line-height: 20px;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">Ou quem sabe, a melhor de todas as alternativas... </span><strong><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">Adotar de vez uma dieta vegetariana</span></strong><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">!</span></span></li><li><span class="Apple-style-span" style="line-height: 21px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">Experimentar uma receita vegetariana. Para o </span><b><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">Dia Mundial Sem Carne</span></b><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">, o </span><b style="color: #444444;"><a href="http://www.centrovegetariano.org/"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;">Centro Vegetariano</span></span></a></b><span class="Apple-style-span" style="color: #444444; font-size: small;"> </span><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;">sugere, por exemplo:</span></span></span></li></ul><br /><b><br /></b><br /><b style="line-height: 21px; text-align: justify; text-indent: 1px;"><span style="font-family: inherit;">Arroz com feijão e cogumelos</span></b><br /><b><br /></b><br /><b>Ingredientes </b>(4 pessoas):<br />1 chávena de arroz branco<br />1 cenoura<br />250g de feijão vermelho (pré-cozido)<br />250g de cogumelos laminados<br />1 cebola média<br />6 dentes de alho<br />2 folhas de louro<br />2 tomate maduros ou polpa de tomate<br />azeite q.b<br />sal q.b<br />3 chávenas de água<br /><br /><b>Preparação:</b><br />Num tacho refogar no azeite a cebola picada e os alhos. Juntar o tomate picado e a cenoura às rodelas. Deixar refogar um pouco mais e juntar 3 chávenas de água. Quando a água estiver a ferver juntar o arroz e deixa cozer cerca de 10 minutos.<br /><br />A meio da cozedura, adicionar o feijão e os cogumelos. Juntar o louro e um pouco de sal e deixar cozinhar até o arroz estar cozido. Servir acompanhado de uma salada colorida.<br /><br /><br /><b>Espetadas de seitan e legumes </b><br /><b><br /></b><br /><b>Ingredientes </b>(4 pessoas):<br />350g de seitan<br />1 cenoura<br />1 pimento vermelho<br />1 pimento verde<br />1 cebola<br />1 curgete<br />2 dentes de alho<br />2 folhas de louro<br />molho de soja q.b<br />sumo de limão q.b<br />sal q.b<br />azeite q.b<br /><br /><b>Preparação:</b><br />Cortar o seitan em cubos de tamanho médio e colocá-los a marinar com alho, louro, sal, sumo de limão, molho de soja e um fio de azeite. Juntar à marinada a cenoura e a curgete às rodelas grossas e os pimentos e a cebola em pedaços.<br />Algumas horas depois colocar os pedaços de seitan alternados com os legumes em paus de espetada e levar a grelhar.<br />Acompanhar com arroz integral ou batata assada e uma salada.<br /><div align="justify" lang="pt-PT" style="line-height: 21px; margin-bottom: 0cm; margin-left: 0px; margin-right: 5px; margin-top: 0px; text-align: justify;"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit;"> </span></div></div><div align="justify" lang="pt-PT" style="line-height: 21px; margin-bottom: 0cm; margin-left: 0px; margin-right: 5px; margin-top: 0px; text-align: justify;"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><br /></span> </span><br /><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><a href="http://universoalimentos.blogspot.pt/" target="_blank">Mais receitas</a></span></span><br /><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;"><br /></span></div></div><div align="justify" lang="pt-PT" style="line-height: 0.18cm; margin-bottom: 0cm; margin-left: 0px; margin-right: 5px; margin-top: 0px; text-align: justify; text-indent: 1.27cm;"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;">Para qualquer informação adicional sobre este assunto:</span></div><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="line-height: 21px;"><b><a href="http://www.centrovegetariano.org/"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;">Centro Vegetariano</span></a></b></span></div></div><div align="justify" lang="pt-PT" style="line-height: 0.18cm; margin-bottom: 0cm; margin-left: 0px; margin-right: 5px; margin-top: 0px; text-align: justify; text-indent: 1.27cm;"></div><div><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><br /></span> </span></div><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d; font-family: inherit;"></span></span></div><table border="0" cellpadding="0" cellspacing="0"><tbody><tr><td width="44%"><div align="right"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d; font-family: inherit;"><img align="top" alt="Farm" height="60" hspace="10" src="http://www.farmusa.org/Banners/BNRFARM(234x60).jpg" vspace="10" width="234" /></span></span></div></div></td><td align="left" valign="top" width="56%"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span style="font-family: inherit;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><img align="texttop" height="10" src="http://www.farmusa.org/images/Transparent.gif" width="100" /></span></span><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><br />Farm Animal Rights Movement (FARM) </span></span><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><a href="http://www.farmusa.org/"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;">www.farmusa.org</span></a></span></span></div></td></tr><tr><td width="44%"><div align="right"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d; font-family: inherit;"><img align="top" height="60" hspace="10" src="http://www.farmusa.org/Banners/vegKitRasp234x60.gif" vspace="10" width="234" /></span></span></div></div></td><td align="left" valign="top" width="56%"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;">Vegetarian Starter Kit</span> <a href="http://www.vegkit.org/"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;">www.vegkit.org</span></a></span></div></td></tr><tr><td width="44%"><div align="right"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d; font-family: inherit;"><img align="top" height="60" hspace="10" src="http://www.farmusa.org/Banners/ar234x60aniGeneric.gif" vspace="10" width="234" /></span></span></div></div></td><td align="left" valign="top" width="56%"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span style="font-family: inherit;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;">Animal Rights National Conference</span></span><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><br /></span> <a href="http://www.arconference.org/"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;">www.arconference.org</span></a></span></span></div></td></tr><tr><td width="44%"><div align="right"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d; font-family: inherit;"><img align="top" height="60" hspace="10" src="http://www.farmusa.org/Banners/MOJoin234X60.gif" vspace="10" width="234" /></span></span></div></div></td><td align="left" valign="top" width="56%"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span style="font-family: inherit;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><img align="texttop" height="10" src="http://www.farmusa.org/images/Transparent.gif" width="100" /></span><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><br /></span> <span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"> </span><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;">The Great American Meatout</span></span><br /><span style="font-family: inherit;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"></span><a href="http://www.meatout.org/"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;">www.meatout.org</span></a></span></div></td></tr><tr><td width="44%"><div align="right"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d; font-family: inherit;"><img align="top" height="60" hspace="10" src="http://www.farmusa.org/Banners/MeatoutMondays234X60.jpg" vspace="10" width="234" /></span></div></div></td><td align="left" valign="top" width="56%"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span style="font-family: inherit;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;">Meatout Mondays</span><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"> </span></span><br /><a href="http://www.meatoutmondays.org/"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d; font-family: inherit;">www.meatoutmondays.org</span></a></div></td></tr><tr><td valign="top"><div align="right"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d; font-family: inherit;"><img align="top" height="60" hspace="10" src="http://www.farmusa.org/Banners/BNRWFAD234X60.gif" vspace="10" width="234" /></span></div></div></td><td align="left" valign="top"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d; font-family: inherit;">World Farm Animals Day (WFAD)</span><br /><span style="font-family: inherit;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"></span><a href="http://www.wfad.org/"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;">www.wfad.org</span></a><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><br /></span> <span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"> </span></span></div></td></tr><tr><td width="44%"><div align="right"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d; font-family: inherit;"><img align="top" height="60" hspace="10" src="http://www.farmusa.org/Banners/gentleThanksgiv_234_X_60_BN.jpg" vspace="10" width="234" /></span></div></div></td><td align="left" valign="top" width="56%"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span style="font-family: inherit;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;">Gentle Thanksgiving</span><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><br /></span> <a href="http://www.gentlethanksgiving.org/"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;">www.gentlethanksgiving.org</span></a></span></div></td></tr><tr><td width="44%"><div align="right"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d; font-family: inherit;"><img align="top" height="60" hspace="10" src="http://www.farmusa.org/Banners/CHOICE_234_X60_BNR.jpg" vspace="10" width="234" /></span></div></div></td><td align="left" valign="top" width="56%"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span style="font-family: inherit;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><br /></span> </span><br /><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d; font-family: inherit;">Citizens for Healthy Options In Children's Education (CHOICE)</span><br /><span style="font-family: inherit;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"></span><a href="http://www.choiceusa.net/"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;">www.choiceusa.net</span></a></span></div></td></tr><tr><td width="44%"><div align="right"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d; font-family: inherit;"><img height="60" hspace="10" src="http://www.farmusa.org/Banners/Hunger_234_X_60_BNR.jpg" vspace="10" width="234" /></span></div></div></td><td align="left" valign="top" width="56%"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span style="font-family: inherit;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><img align="texttop" height="10" src="http://www.farmusa.org/images/Transparent.gif" width="100" /><br />Well-Fed World ( </span><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;">Hunger Solutions</span><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;">)</span></span><br /><span style="font-family: inherit;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"></span><a href="http://www.wellfedworld.org/"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;">www.wellfedworld.org</span></a></span></div></td></tr></tbody></table><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><br /></span> </span></div><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span style="font-family: inherit;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><br /></span> </span><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"> </span></span></div><div style="text-align: left;"><div style="clear: left; float: left; margin-bottom: 1em; margin-right: 1em;"><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><div style="text-align: center;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d; font-family: inherit;"> <img alt="VO bumper stickers" src="http://www.veganoutreach.org/catalog/images/VO-Stickers-H-Sm.gif" /></span></span></div></div></div></div><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span style="font-family: inherit;"><span class="Apple-style-span" style="font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><br /></span> </span><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"> </span></span></div></div><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><br /></span> </span></div><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><div style="text-align: center;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><br /></span> </span></div></div><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><br /></span> </span></div><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><br /></span> </span></div><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><br /></span> </span></div><div style="margin-bottom: 0px; margin-left: 0px; margin-right: 0px; margin-top: 0px;"><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d; font-family: inherit;"><br /></span><br /><a href="http://www.veganoutreach.org/advocacy/resources.html"><b><span class="Apple-style-span" style="color: #38761d;"><span class="Apple-style-span" style="font-family: inherit; font-size: small;">VEGAN OUTREACH</span></span></b></a></div>


publicado por Maluvfx às 19:12
link do post | comentar | favorito
 O que é? |

Domingo, 18 de Março de 2012
Bicarbonato de Sódio e suas mil e uma utilidades

O bicarbonato de sódio é útil em quase tudo.

Pode ser usado umas pitadas em cima do creme dental, ajuda a branquear os dentes.
Usa-se uma colher (cafezinho) em ½ copo de água para fazer bochecho após escovar os dentes, ajuda a combater à carie dentária e aftas.
Quando sai feridinha no canto da boca ou na língua, coloca-se uma pitada em cima, arde e queima um pouquinho, mas logo cura, aplicar 3xdia.
Usa-se também em bolos junto do fermento bem pouquinho para massa ficar leve.
Usa-se como antiácido para aliviar dor de estomago.
Usa-se com água morna uma colher (sopa) bem cheia em meio litro de água, para limpar a geladeira, tira o odor impregnado de alimentos.
E também tem várias dicas de limpeza onde é utilizado o bicarbonato de sódio.
Enfim, se faz várias coisas com bicarbonato de sódio, por isto é importante sempre ter em casa.

Como antiácido para aliviar dor de estomago:
Dissolver 2,5g (1 colher de café) em um copo de água filtrada e tomar 30 minutos antes das refeições, para neutralizar o excesso de secreção gástrica no estômago. Não usar juntamente com dieta láctea (a base de leite) devido a possibilidade de ocorrência de síndrome alcalino-láctea. (Fonte: Resolução-RDC N° 199, de 26 de outubro de 2006 – ANVISA)

Remoção de odores de geladeira e freezer: 
Depois de retirado todo o gelo, limpe com um pano limpo ligeiramente embebido em água com bicarbonato de sódio [uma colher (sopa) bem cheia em meio litro de água morna] e depois seque com um pano limpo. Esta mesma solução pode ser utilizada para retirar qualquer cheiro forte que tenha ficado no plástico, mergulhe os vasilhames em água com bicarbonato de sódio, e deixe por vários minutos, depois lave normalmente com água.

 Limpeza da cafeteira de aço inox: 
Adicione duas colheres (sopa) de bicarbonato de sódio a um volume de água equivalente a sua capacidade, deixe-a ferver durante 10 a 15 minutos numa vasilha e então despeje a solução sobre a cafeteira.
ü Limpeza da garrafa térmica: Lave a ampola (vidro prateado) com uma solução de água quente e bicarbonato de sódio para retirar resíduos do líquido. Enxágüe bem. Não use utensílios de metal para limpar a ampola de vidro, pois ela é frágil.

Sujeira ou manchas no aço: 
Aplique uma mistura feita com bicarbonato de sódio dissolvido com álcool etílico, até formar uma pasta (tipo pasta cristal), usando um pano macio ou uma bucha de náilon para passar na superfície do aço inox, faça-o sempre da maneira mais suave possível, utilizando passadas longas e uniformes, no sentido do acabamento polido, caso houver. Evite esfregar com movimentos circulares, depois, enxágüe com bastante água, preferencialmente morna e seque com pano macio.

Limpeza de utensílios de inox:
 dissolva 1 colher (sopa) de bicarbonato de sódio em um litro de água e lave as peças.

Para limpar panela queimada, salpique com bicarbonato de sódio e umedeça, depois de algumas horas lave, o queimado sairá facilmente. E, se a comida grudou, encha a panela com água quente e duas colheres de bicarbonato de sódio. Deixe algum tempo e limpe. Outra dica é o uso do Limoníaco.

Para cinza de cigarro no cinzeiro
que continuam a queimar e são desagradáveis, evite isso colocando um pouco de bicarbonato de sódio no fundo do cinzeiro.

Limpeza de carpetes: 
Uma desodorização rápida pode ser obtida pulverizando-se o carpete com bicarbonato de sódio e aspirando logo a seguir.

Para evitar manchas amareladas em lycra branca: 
Depois de lavar e enxaguar, logo em seguida, deixar por pouco tempo de molho em água contendo um pouco de bicarbonato de sódio, secar a sombra.

Para tirar aquelas marcas que com o uso ficam nas bordas internas das xícaras de café ou chá, basta esfregar bem com um pano úmido e bicarbonato de sódio.

Para desentupir o cano da pia, jogue dentro dele um pouco de bicarbonato (2 a 4 colheres de sopa), derramando em seguida meia xícara de vinagre.

Para limpar pentes, escovas e rolos de cabelo: 
Adicione 3 colheres (sopa) de bicarbonato de sódio em ½ colher (sopa) de hipoclorito de sódio numa bacia com um pouco de água morna. Coloque os objetos e deixe um pouco, mexendo sempre. Enxágüe e deixe secar no ar.

Para remover o mofo das cortinas do chuveiro: 
Use bicarbonato de sódio.

Para remover a corrosão da bateria: 
Esfregue os terminais da bateria e ganchos com uma solução de água com bicarbonato de sódio. Depois passe vaselina sólida.

Ladrilhos e cerâmicas:
Para uma limpeza leve, lave os ladrilhos com uma solução de ½ xícara de amônia, ½ xícara de vinagre branco, ¼ de xícara de bicarbonato de sódio em 1 litro de água morna.

Para tirar manchas de ferrugem nos tecidos, passe uma mistura de suco de limão com bicarbonato de sódio. Ou coloque suco de limão sobre a mancha, depois cubra o local com sal e deixe no sol por 20 minutos. Para ambos os casos, repita a operação se a mancha persistir e depois lave normalmente. Para remover as manchas de ferrugem em tecidos pode ser utilizado também o Tira Ferrugem.

Manchas amareladas de tecidos: 
Para clarear tecidos de algodão e linho já amarelados pelo tempo, ferva o tecido numa panela bem limpa por 1hora em uma solução de sal de cozinha e bicarbonato de sódio.

As mil e uma utilidades do bicarbonato na limpeza da casa

O bicarbonato é útil em quase tudo. Ajuda na culinária, mas também deixa a casa um brinco! Serve para limpar pia, vaso sanitário, geladeira, fogão… Também substitui o cloro na remoção de limo. Confira alguns truques que vão facilitar a sua vida!

Superfícies brilhantes: passe uma esponja macia com água e bicarbonato (2 partes de água para 1 de bicarbonato) em toda a superfície da pia de aço inoxidável para deixá-la limpa e brilhante. Tampos de gabinete e a porta da geladeira também podem ser limpos da mesma maneira.

Pisos: passe um esfregão no piso de cerâmica com ½ xícara (chá) de bicarbonato dissolvido em 1 balde de água morna. Depois, enxague bem e seque com um pano macio.

Forno e fogão: despeje 1 xícara (chá) de amoníaco no forno frio, deixe agir durante algumas horas e limpe com um pano umedecido com água e bicarbonato. Para a faxina do fogão, passe uma esponja macia com água e bicarbonato. Seque com um pano limpo e seco.

Panelas: para remover gorduras ou manchas, ferva 2 xícaras (chá) de água com 2 colheres (sopa) de bicarbonato. Jogue a água fora e passe uma esponja úmida salpicada com bicarbonato. Enxague bem.

Filtro de água: esfregue bicarbonato na vela para deixá-la limpa e sem pontos de limo. Enxague bem.

Pia, bide e vaso sanitário: o bicarbonato substitui o cloro na remoção de limo. Para isso, despeje um punhado de bicarbonato e deixe agir por uma hora. Depois, faça uma mistura com o suco de 1 limão e 2 colheres (chá) de bicarbonato e esfregue com uma escovinha toda a superfície. Enxague.

Lata de lixo: deixe de molho numa mistura feita com ½ xícara (chá) de bicarbonato dissolvido em 1 balde de água morna.

Esponja: renove esponjas velhas encharcando-as durante a noite numa solução feita com 4colheres (sopa) de bicarbonato e 1 xícara (chá) de água. Enxague bem e deixe secar.

Ralos: para mantê-los abertos, limpos e sem cheiros, jogue sobre eles ¼ de xícara (chá) de bicarbonate, depois ½ xícara (chá) de vinagre, e cobra por alguns minutos. Enxágue com água quente.

Tapetes e carpetes: use uma mistura de 1 parte de bicarbonato para 4 de álcool para remover manchas de gordura. Esfregue com uma escovinha e enxágue com muita água. Para tirar o cheiro ruim, espalhe bicarbonate e aspire em seguida.



*Para tirar manchas de roupas, eu uso o bicarbonato de sódio. Misture meio copo de bicarbonato sempre que fizer uma carga total de lavagem (6 a 7 kg)
Para nódoas mais difíceis use uma solução feita com 4 colheres (sopa) de bicarbonato e 1 chávena (chá) de água. Deixe de molho um pouco, esfregue e depois pode lavar.


publicado por Maluvfx às 06:52
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
 O que é? |

Sábado, 17 de Março de 2012
Consumir carne vermelha aumenta risco de morte, afirma novo estudo de Harvard
Consumir carne vermelha aumenta risco de morte, afirma novo estudo de Harvard

Sinal vermelho para a carne 
Red meat raises red flags

Mais uma vez a universidade de Harvard, nos EUA, uma das mais respeitadas do mundo, divulga um estudo condenando a ingestão de carne. O trabalho, que companhou mais de 120 mil pessoas durante quase 30 anos, concluiu que o consumo diário de carne vermelha aumenta o risco de morte prematura em até 20%. Foram analisadas informações de 37.698 homens e 83.644 mulheres durante 22 anos e 28 anos, respectivamente. Os participantes foram entrevistados sobre seus hábitos alimentares a cada quatro anos.

Doenças cardíacas, diabetes e câncer

As doenças mais comuns constatadas entre as pessoas que comeram carne regularmente durante o estudo foram as relacionadas ao coração, a diabetes do tipo 2 e também ao câncer. 23.926 pessoas morreram durante o estudo. Destas, 5.910 de doenças cardiovasculares e 9.464 de algum tipo de câncer.

Ferro heme (presente na carne) e doenças crônicas

O ferro da carne, tão enaltecido pela mídia e pelos produtores de carne, foi apontado como um dos ingredientes contidos na carne que causam doenças crônicas como as cardíacas e o câncer.
“A carne vermelha, carne processada especialmente, contém ingredientes que têm sido associadas ao aumento do risco de doenças crônicas, como doenças cardiovasculares e câncer. Estes incluem o ferro heme, a gordura saturada, sódio, nitritos, e certos agentes cancerígenos que são formados durante o cozimento.” – Diz um trecho do documento.

Foi apontada a carne processada (linguiça, mortadela, salame, salsicha, patê, etc.) como grande vilã, mas outros tipos de carne considerados mais saudáveis como aves e peixes não se mostraram tão eficientes como os vegetais na busca de uma vida com mais saúde.
 
Substituindo a carne

Os cientistas de Harvard concluíram que a forma mais eficaz de substituir a carne no cardápio, com o intuito de evitar as doenças geradas por ela, é utilizar nozes. Substituir a carne vermelha por nozes provou que o risco de mortalidade cairia em 19%.

Redução da carne e economia com gastos de saúde pública

Incentivar a população a reduzir ou a deixar o consumo de carne traria uma economia de bilhões de dólares em saúde pública, segundo especialista.”Mais de 75% dos US$ 2,6 bilhões gastos anualmente com saúde nos Estados Unidos são por motivos de doença crônica”, disse Dean Ornish, médico e nutricionista da Universidade da Califórnia, em San Francisco. “Consumir menos carne vermelha pode ajudar a reduzir a mortalidade devido a essas doenças e reduzindo, assim, os custos com saúde”, complementa.

Ouça a notícia na CBN aqui.

Hand_605
Red meat raises red flags


Study: Red Meat Increases Risk of Premature Death



Red Meat Consumption Linked to Increased Risk of Total, Cardiovascular, and Cancer Mortality




The Risks of Red Meat

Red meat? It's food to die for:


publicado por Maluvfx às 17:37
link do post | comentar | favorito
 O que é? |

Sábado, 10 de Março de 2012
Não é a falar que a gente se entende
por Pedro Ribeiro
O debate que costuma acompanhar a questão do papel da tauromaquia na sociedade portuguesa actual é inevitável e, em boa medida, apaixonante: envolve e empolga os participantes, suscita posições vincadas e raramente deixa as pessoas indiferentes. Artigo de Pedro Ribeiro.
O debate ocorre, essencialmente, em dois planos: o emocional e o intelectual.

Emocionalmente, a propensão natural que as pessoas têm para querer o bem dos animais leva-nos a condenar as touradas. É preciso incorrer num exercício de pura dissonância cognitiva para considerar que a tortura é para o bem do próprio animal, ou que ele sai de alguma forma beneficiado dessa situação. Agredir e massacrar um animal fere a sensibilidade da maioria das pessoas. Isso é consensual.

Intelectualmente, o debate tem uma dimensão muito diferente: apela à argumentação, ao raciocínio e ao conhecimento científico. Nestes três elementos, a tauromaquia ressurge como uma actividade desnecessária, extemporânea, negativa e indesejada. Escavam-se os argumentos mais rebuscados tentando defender o indefensável mas, após tudo ser considerado, o princípio fundamental do direito à vida e ao bem-estar dos animais continua a ser o valor mais importante da equação.

A dinâmica do antigo debate em volta do assunto faz com que as mesmas questões sejam reutilizadas inúmeras vezes, perpetuando um assunto que, por mais voltas que se lhe dê, se resume a isto: um animal é massacrado em praça pública, agoniza com os ferimentos que sofreu e, invariavelmente, morre após a lide. A crueza específica deste facto contrasta com a ampla dimensão do debate em volta da questão.

Quanto mais se fala nos argumentos morais, éticos, sociais, científicos e económicos a favor e contra a tourada, mais abandonamos o verdadeiro tema: o touro que é massacrado, que agoniza e que morre. Essa é a questão fundamental que está em jogo. Tudo o resto, por mais interessante que seja no intelectual exercício do debate, é floreado.

A discussão é essencial, sim. A dimensão da tauromaquia em Portugal justifica o exercício responsável de considerar argumentos, medidas, consequências… Porém, a cada argumento usado, a cada consideração, a cada debate corresponde mais uma conceptualização de algo muito real: um animal que morre em agonia.

E sim, tenho perfeita noção do contra-senso que é falar acerca disso.

Fonte


publicado por Maluvfx às 22:40
link do post | comentar | favorito
 O que é? |

Quinta-feira, 8 de Março de 2012
Moralidade animal: 7 vídeos incríveis
O pouco que sabemos agora sobre o comportamento moral dos animais nos leva a concluir que é muito mais desenvolvido do que nós lhe demos crédito”, disse Marc Bekoff, professor de ecologia e biologia evolutiva. “Não somos os únicos ocupantes da arena moral”.

No mundo científico, acumulam-se evidências que sugerem que muitos animais são seres morais. Comportamentalistas animais têm observado muitos casos em que eles exibem um senso de certo e errado e, geralmente, tratam uns aos outros com bondade, justiça e reciprocidade – mais do que nós podemos nos gabar. Veja algumas das provas nesses vídeos incríveis:


7 – Hipopótamo e impala
Em um exemplo surpreendente de altruísmo entre espécies, um hipopótamo resgata um impala jovem da morte pelas garras de um jacaré e ainda parece tentar ressuscitar o animal.
6 – CÃO CULPADO
Neste divertido vídeo, o tutor de um cão volta para casa e descobre seu lixo espalhado por toda parte e a tampa da lata de lixo presa na cabeça de seu cão. O animal apresenta linguagem corporal de culpa (muita culpa), e especialistas dizem que ele provavelmente entende que se comportou mal, quebrando uma regra posta em prática pelo membro alfa de seu “grupo” – seu tutor.
5 – PINGUIM LADRÃO
No vídeo, pinguins-de-Adélia são vistos reunindo pedras para construir seus ninhos. Um deles furtivamente rouba uma pedra do ninho do seu vizinho toda vez que ele vai pegar uma nova. Mas será que o pinguim ladrão sabe que suas ações secretas são moralmente erradas?
Os cientistas acreditam que não, porque dentro do grupo social dos pinguins, não há punição ou tratamento diferente para aves que roubam. Entre os corvos, por outro lado, existem consequências sociais para as aves que roubam. Os cientistas pensam que isso instila neles um senso de certo e errado.
4 – ESQUILO DE LUTO
Neste vídeo, um esquilo jaz morto na estrada, enquanto outro luta com os corvos que vêm para comer a carcaça. O esquilo vivo parece ter um impulso emocional ou moral de proteger o corpo de seu companheiro.
3 – CÃO PEDINDO RESGATE
Nesta filmagem um pouco famosa, feita logo após o tsunami no Japão, um cão parece tentar chamar a atenção e obrigar a equipe de filmagem a resgatar seu companheiro ferido. Ele se recusa a deixar para trás o cão ferido e parece confortá-lo.
2 – ELEFANTES RESGATAM FILHOTE
Numa demonstração enorme de compaixão, elefantes trabalham juntos para resgatar um filhote do afogamento.
1 – CACHORRO TENTA SALVAR COMPANHEIRO
Um cão resgata o outro companheiro que havia sido atropelado e estava ferido, arrastando-o pela movimentada pista de uma rodovia, arriscando seu próprio pescoço.
Além desta cadela que salvou um bebê humano recém-nascido  que havia sido abandonado no frio congelante, cientistas descobriram que cães possuem uma forma rudimentar de empatia.

Fonte: ANDA - Agência de Notícias de Direitos Animais

tags:

publicado por Maluvfx às 15:57
link do post | comentar | favorito
 O que é? |

Segunda-feira, 5 de Março de 2012
Um regime democrático não é proibicionista
Claro que um regime democrático nos proíbe as práticas que podem ser lesivas para os outros. Os códigos penais estão cheios delas. Porque é preciso assegurar a defesa dos mais vulneráveis relativamente aos abusos dos mais fortes, por isso o código penal está organizado de forma a limitar a liberdade de quem maltrata, de quem rouba, de quem contamina, de quem abusa, de quem tortura.

Um regime democrático não é uma anarquia em que cada qual faz o que quer, independentemente do prejuízo que isso possa ter para os outros. Segundo as regras da democracia, a maioria determina imposições sobre a minoria. No século XXI, a maioria da população portuguesa considera que a tourada viola direitos fundamentais dos animais – cavalos e touros. Segundo as regras dos regimes democráticos, considerando que a maioria da população portuguesa quer ver esses direitos respeitados, a abolição das touradas é uma medida democrática e justa.

Um regime democrático não nos vai ditar o que vamos fazer dos nossos tempos livres; não vai obrigar-nos a ir ao teatro, por exemplo, mas vai dizer-nos o que não podemos fazer.

Resumindo: embora as preferências das maiorias não se possam impor sempre que ponham em causa os interesses de minorias, neste caso a maioria democrática coincide com obrigatoriedade ética.

O touro não sofre

Sabemos que é reprovável causar sofrimento por motivos triviais. Mas o que é facto é que o touro tem que sofrer durante o espetáculo com que se deleitam os aficionados.

Por isso parece-lhes melhor defender a ideia absurda de que um animal que sente uma mosca a picar-lhe os flancos, por uma espécie de passe de mágica, numa arena não sente ferros de 8cm de comprimento com um arpão de 4cmx2cm a enterrarem-se-lhe na carne e a dilacerarem-lhe músculos, vasos sanguíneos e nervos.

Para conferir alguma credibilidade a este absurdo, invocam muitas vezes um pseudo- estudo do porf. Illera, que obviamente não conseguiu passar pelo crivo do peer review. E como não conseguiu publicar em revistas científicas, optou por publicar as suas conclusões em revistas tauromáquicas que o acolheram de braços abertos e divulgaram até à exaustão.

Entre os argumentos pseudo-científicos frequentemente associados à alegação de que o touro não sofre, a questão da adrenalina costuma ter um papel de destaque. Dizem que a secreção de adrenalina como elemento inibidor de dor é a prova de que o touro não sofre com as agressões que sofre durante a lide. A auto-contradição é evidente: a secreção de adrenalina ocorre em momentos de claro perigo e tensão e é o mais claro indicador de que o touro está, efectivamente, a sofrer. Senão, a adrenalina não seria sequer necessária.

Puro bom senso.

A oposição à tauromaquia é uma luta da cidade contra o campo

Essa é uma falsa questão, já que não podemos falar genericamente de pessoas do campo sem estarmos a estereotipar um grupo. As pessoas do campo são tão iguais e tão diferentes como todas as outras: podem ser generosas, compassivas, inteligentes, brutas, gananciosas, violentas, egoístas, divertidas, taciturnas... podemos continuar indefinidamente, sem nunca chegar a uma conclusão de jeito.

A oposição à tauromaquia é uma luta da razão e da sensibilidade - valores transversais a todas as pessoas, indpendentemente da sua origem - contra a paixão cega das emoções fortes.

A valentia, a inteligência contra a força bruta

Há quem prove diariamente que a valentia e a inteligência são superiores à força bruta, através da literatura, da filosofia, da ciência, da tecnologia, da política, da intervenção social.

A corrida de touros está concebida de forma a que um dos lados esteja preparado para vencer e o outro condicionado para perder. Não é por acaso que as praças são redondas, que os cornos são despontados e embolados, que os toureiros aprendem as técnicas de melhor enganar o touro, que a música toca, que o público grita, que a sequência e o tamanho das bandarilhas é precisamente aquele.

Assumindo que a inteligência é a capacidade de resolver novos problemas, o touro – o tal animal irracional – é o único que a tem que usar, porque é aquele que não sabe o que o espera. Se ensinássemos o touro (sim, são capazes de aprender, como todos os outros animais, através de estímulos positivos e negativos) a apontar ao corpo e não à muleta, a não reagir às primeiras agressões e esperar que o torturador se exponha cada vez mais, a virar a cabeça de lado no momento do encontro com o forcado? E se, sobretudo, o fizéssemos sem o conhecimento prévio de toureiros e forcados? Aí o desfecho seria seguramente outro e já não seria “justo”.

Basta ver os gestos repetidos e as expressões grotescas de triunfo dos toureiros para perceber o caráter supérfluo, primitivo e inútil da necessidade de um ritual em que o homem pretende demonstrar a superioridade sobre um animal. É fácil de perceber que uma coisa destas ao invés de elevar o homem, bestializa-o.

É ainda importante considerar a própria pertinência de perpetuar um ritual primitivo em que, supostamente, se confrontam a inteligência e a força bruta. Acima de tudo, é um ritual de vaidade, supérfluo e desnecessário. Alegar que tal confronto é uma das essências da tourada é afirmar que o homem precisa de provar que é intelectualmente superior a um animal, o que é verdadeiramente absurdo.

Concluindo: houve inteligência sim, mas a montante, na construção desta sequência. Mas sabemos bem do que a inteligência sem empatia é capaz.

O touro gosta da lide, sente-se respeitado

Deve ser resultado de algum estudo de opinião em que entrevistaram os touros à saída da arena...

Este é mais um paradoxo da defesa da tauromaquia: por um lado acusam os que a ela se opõem de antropomorfizar o touro quando falam em sofrimento mas, por outro não têm qualquer pudor em afirmar que o touro sente honra, arrogância ou paixão por ser ludibriado e ferido num ambiente hostil, longe dos seus pares.

É melhor a vida de um touro de lide do que a dos bois para consumo

Nenhum mal pode ser justificável por comparação com outro mal maior.

O touro tem uma vida de rei durante 5 anos e depois sofre na arena durante 20 minutos

Deveria preocupar-nos o caráter doentio de criar animais para os sujeitar a um ritual de tortura antes de os matar. Até porque sabemos que violência é violência, qualquer que seja a vítima e não é por acaso que diversos estudos no âmbito da psicologia, demonstrem que todos os serial killers treinaram os seus dotes primeiro em animais.

É a sede de dominar e de subjugar que emana deste tipo de cultura, donde provém igualmente a violência doméstica (em que o mais forte necessita permanentemente de afirmar a sua superioridade através da submissão dos mais fracos).

Se o simples abandono de animais de estimação é consensualmente condenado pela população, por que motivo devemos aceitar que outros torturem touros, por mais bem estimados que sejam?


Fonte


publicado por Maluvfx às 12:32
link do post | comentar | favorito
 O que é? |

A tauromaquia foi celebrada por pintores e escritores, como Picasso e Hemingway
Goya e Picasso pintaram a tauromaquia, como pintaram o horror da guerra ou as execuções públicas. Se as suas obras e a dimensão estética que deram ao horror não servem para legitimar a guerra ou as execuções públicas, porque razão haveria de servir para justificar a tauromaquia?

De facto, alguns autores estão dentro do zeitgeist da época e outros estão à frente do seu tempo. Esse é o grande papel da arte: dar a ver outra perspetiva do mundo. William Hogarth, por exemplo, em meados do século XVIII, ilustrou bem a iniquidade da sociedade em que vivia e as consequências morais da mesma, que só vieram a ser comprovadas muito mais tarde pelas ciências que estudam o comportamento. A série The Four Stages of Cruelty é disso exemplo.

Houve de facto artistas que se posicionaram a favor das touradas, como houve outros que se manifestaram contra. Acontece que a formação moral ou ética de um artista não é relevante para avaliar a qualidade da sua obra, nem esta pode validar a sua postura ética. São coisas distintas.

Fonte


publicado por Maluvfx às 12:28
link do post | comentar | favorito
 O que é? |

Se comem carne, é hipocrisia serem contra as touradas, em nome da coerência
Claramente, a extrapolação é um erro.

Parece que só um vegan tem legitimidade para se pronunciar contra as touradas. Seguindo esse tipo de raciocínio, também só uma pessoa "carbono 0" se pode pronunciar sobre crimes ambientais; quem alguma vez incorreu nalguma contra-ordenação, não pode objetar ao crime. A colocação das questões no tudo ou nada acaba por redundar numa grande desonestidade intelectual porque cria impasses. Esta é uma evidente tentativa de empurrar a oposição às touradas para um estatuto que ela não tem e que é visto com preconceito por uma maioria da população.

A maioria dos portugueses, ainda que omnívora, reconhece que a tourada é uma actividade vã e injustificável.

Fonte


publicado por Maluvfx às 12:27
link do post | comentar | favorito
 O que é? |

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
14
16
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


posts recentes

Benefícios da Vitamina C

“Vermelho e Negro”

Cavalos e Pessoas II

Cavalos e pessoas I

POR QUE AS TOURADAS SÃO F...

Ponto de Vista VITAL: “A ...

O homem é superior aos an...

"A transmissão das tourad...

Touradas

Por isso é muito difícil ...

arquivos

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Setembro 2008

Agosto 2008

Junho 2008

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Maio 2006

Dezembro 2005

Outubro 2003

Julho 2002

tags

todas as tags

favoritos

ANTI-TOURADAS

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds