Ética é o conjunto de valores, ou padrões, a partir dos quais uma pessoa entende o que seja certo ou errado e toma decisões. A ética é importante por que respeita os outros e a dignidade humana.
Sábado, 10 de Março de 2012
Não é a falar que a gente se entende
por Pedro Ribeiro
O debate que costuma acompanhar a questão do papel da tauromaquia na sociedade portuguesa actual é inevitável e, em boa medida, apaixonante: envolve e empolga os participantes, suscita posições vincadas e raramente deixa as pessoas indiferentes. Artigo de Pedro Ribeiro.
O debate ocorre, essencialmente, em dois planos: o emocional e o intelectual.

Emocionalmente, a propensão natural que as pessoas têm para querer o bem dos animais leva-nos a condenar as touradas. É preciso incorrer num exercício de pura dissonância cognitiva para considerar que a tortura é para o bem do próprio animal, ou que ele sai de alguma forma beneficiado dessa situação. Agredir e massacrar um animal fere a sensibilidade da maioria das pessoas. Isso é consensual.

Intelectualmente, o debate tem uma dimensão muito diferente: apela à argumentação, ao raciocínio e ao conhecimento científico. Nestes três elementos, a tauromaquia ressurge como uma actividade desnecessária, extemporânea, negativa e indesejada. Escavam-se os argumentos mais rebuscados tentando defender o indefensável mas, após tudo ser considerado, o princípio fundamental do direito à vida e ao bem-estar dos animais continua a ser o valor mais importante da equação.

A dinâmica do antigo debate em volta do assunto faz com que as mesmas questões sejam reutilizadas inúmeras vezes, perpetuando um assunto que, por mais voltas que se lhe dê, se resume a isto: um animal é massacrado em praça pública, agoniza com os ferimentos que sofreu e, invariavelmente, morre após a lide. A crueza específica deste facto contrasta com a ampla dimensão do debate em volta da questão.

Quanto mais se fala nos argumentos morais, éticos, sociais, científicos e económicos a favor e contra a tourada, mais abandonamos o verdadeiro tema: o touro que é massacrado, que agoniza e que morre. Essa é a questão fundamental que está em jogo. Tudo o resto, por mais interessante que seja no intelectual exercício do debate, é floreado.

A discussão é essencial, sim. A dimensão da tauromaquia em Portugal justifica o exercício responsável de considerar argumentos, medidas, consequências… Porém, a cada argumento usado, a cada consideração, a cada debate corresponde mais uma conceptualização de algo muito real: um animal que morre em agonia.

E sim, tenho perfeita noção do contra-senso que é falar acerca disso.

Fonte


publicado por Maluvfx às 22:40
link do post | comentar | favorito
 O que é? |

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
14
16
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


posts recentes

Benefícios da Vitamina C

“Vermelho e Negro”

Cavalos e Pessoas II

Cavalos e pessoas I

POR QUE AS TOURADAS SÃO F...

Ponto de Vista VITAL: “A ...

O homem é superior aos an...

"A transmissão das tourad...

Touradas

Por isso é muito difícil ...

arquivos

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Setembro 2008

Agosto 2008

Junho 2008

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Maio 2006

Dezembro 2005

Outubro 2003

Julho 2002

tags

todas as tags

favoritos

ANTI-TOURADAS

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds