Ética é o conjunto de valores, ou padrões, a partir dos quais uma pessoa entende o que seja certo ou errado e toma decisões. A ética é importante por que respeita os outros e a dignidade humana.

Sexta-feira, 22 de Junho de 2012
Nutrientes numa Dieta Vegan
Proteína

Qual vegetariano (a) ainda não se viu confrontado com a clássica pergunta : "de onde você retira sua proteína?" Essa obsessão por proteínas parece ser mantida viva mesmo pela maior parte das pessoas, que mesmo após terem adotado uma dieta vegetariana ou vegan, ainda tendem a consumir uma quantidade excessiva de proteínas.

Proteínas são essenciais ao crescimento e regeneração dos tecidos e desempenham um papel crucial virtualmente em todos os processos biológicos: enzimas, anticorpos, hormônios [hormonas], ou como constituinte das membranas celulares, são poucos exemplos de onde encontramos proteínas.

Proteínas consistem em aglomerados de pequenas unidades nitrogenadas que conhecemos como aminoácidos, 23 dos quais são encontrados no organismo humano. A maior parte desses aminoácidos nosso corpo consegue sintetizar ele próprio, mas oito deles (leucina, isoleucina, valina, treonina, metionina, fenilalanina, triptofano e lisina - em crianças, a histidina é também considerada um aminoácido essencial) devem ser regularmente ingeridos através de alimentos que contenham proteínas e portanto são conhecidos como aminoácidos essenciais (EAA).

Todos os alimentos vegetais - mesmo frutas – contêm alguma proteína, e virtualmente todos eles têm presente os 8 EAA, em diferentes teores. O mito de que proteínas vegetais seriam inferiores leva em consideração o fato de que a maior parte dos alimentos vegetais não contêm todos os aminoácidos essenciais nas proporções tidas como "ideais" (por exemplo, os cereais tendem a serem deficientes no EAA lisina enquanto os feijões tendem a apresentarem níveis mais baixos do EAA metionina). No entanto se sabe hoje que nosso corpo consegue combinar os aminoácidos provenientes de diferentes refeições para produzir proteínas completas. Assim, numa dieta variada, onde se inclui diariamente grãos, nozes ou sementes, vegetais e frutas, mesmo aqueles que se restringem ao não consumo de quaisquer produtos de origem animal (vegans) se vêem facilmente a ingerir proteínas completas.

De 1948 a 1974 a dose diária de proteína recomendada foi reduzida em dois terços, de mais 3 g/kg peso corporal a 1 g/kg peso. De lá pra cá pesquisas têm não apenas reforçado a idéia de que nosso organismo pode não apenas se adaptar a níveis inferiores de proteína ingerida como têm também sugerido que uma ingestão moderada a baixa de proteínas pode ser de grande valor na prevenção e tratamento de certas condições degenerativas. Especialmente numa dieta o[m]nívora, são consumidas quantidades excessivas de proteínas, muitas vezes mais de 100g ao dia. Proteínas não digeridas adequandamente podem causar a acumulação de resíduos tóxicos no organismo, agravando o risco de desenvolvimento de certas doenças crônico-degenerativas, tais como gota, artrite reumatóide e certos tumores. A alta ingestão proteica pode ainda causar problemas renais e pode levar à perda de cálcio pela urina, contribuindo, entre outros, para o enfraquecimento ósseo (osteoporose).

Mesmo muitos vegetarianos ou vegans – especialmente os que se colocam a utilizar indiscriminadamente produtos derivados de soja – tendem a superar as estimativas elevadas e já ultrapassadas para a ingestão diária de proteínas.

As necessidades proteicas do ser humano encontram seu ápice durante o período pós natal, onde os tecidos estão na sua máxima taxa de crescimento. Tudo o que o bebê necessita é suprido pelo leite materno, que possui cerca de 5,9% de suas calorias como proteína (ou se medirmos por gramas, podemos obter um valor ainda mais baixo, pouco mais de 1g por cada 100g de leite, valor similar ao encontrado em diversas frutas). Seria interessante se perguntar o porquê de adultos, que não estariam mais a crescer - e cujas necessidades de proteínas serviriam apenas para reparação e manutenção dos tecidos orgânicos – estariam a precisar de uma dose superior a essa. A maior parte dos alimentos vegetais possui mais de 10% das suas calorias como proteína (agrião, 78% e espinafre, 53%, por exemplo).

A proteína da soja é considerada completa (contém todos os EAA em quantidades suficientemente equilibradas). Outros alimentos que contém ainda relativamente boa proporção de aminoácidos essenciais incluem: castanha-do-Pará, semente de girassol, gergelim (tahine), quinoa, ora-pro-nobis, germe de trigo, alfafa, etc. Outros alimentos que constituem ricas fontes de proteína (e que adultos deveriam comer em moderação): castanhas em geral (avelãs, amêndoas, nozes, etc), leguminosas (feijões, lentilhas, ervilha, grão de bico, vagens, amendoim, etc.), seitan (glúten), processados de soja (burgers, salsichas, tofu, tempeh, etc). Grãos integrais (aveia, trigo, arroz, cevada, centeio, etc) contêm quantidades substanciais de proteína (em torno de 10 a 15%) e seus EAA se complementam muito bem com as leguminosas. Embora a idéia de combinação de proteínas não seja relevante para adultos, parece ser de certa ajuda no caso de crianças, uma vez que essas se encontram em processo de crescimento acelerado e, consequentemente, rápida síntese de novas proteínas.



Conteúdo Proteico de alguns alimentos vegetais
(porção 100 gramas do alimento a seco)
ComidaCaloriasPercentagem (%) de Calorias
sob a forma de Proteínas
Bróculos3245
Cenouras4210
Milho9615
Batatas7611
Abóbora1923
Pepino1524
Batata Doce1146
Tomate2220
Feijão Manteiga 34926
Grão de Bico36023
Lentilhas34029
Amendoins56418
Cevada24811
Arroz3608
Centeio33414
Trigo33017
Amêndoa59812
Noz62813
Maçã561
Banana855




Cálcio

É o mineral mais abundante no organismo. Participa da formação dos dentes e ossos, coagulação do sangue, manutenção da membrana e organelas celulares, regulação da contractilidade muscular (inclusive dos batimentos cardíacos) e atua ainda como ativador de enzimas. Ele interage com o fósforo na estrutura óssea e com o magnésio para manter o esmalte dos dentes, e ainda com vários hormônios, entre eles o estrogênio e a testosterona, que controlam a absorção e a excreção do cálcio e o metabolismo ósseo. Proteína, sódio e fósforo também alteram sua concentração no sangue. É benéfico na prevenção e tratamento da osteoporose, artrite, hipertensão e doenças cardiovasculares. Tem ação preventiva contra o câncer [cancro], reduz o colesterol, atua como um tranqüilizante natural, ajuda a manter a pele saudável e evita ou alivia a cãibra nas pernas. Tem ainda ação desintoxicante contra certos agentes poluentes, inclusive contra o estrôncio radiativo (E - 90) se aloje nos ossos.

O cálcio está presente nas folhas verde-escuro (especialmente na folha de nabo, brócolis [bróculos], mandioca, couve e mostarda), amêndoas, nozes, castanha-do-Pará, sementes de abóbora, gergelim e de girassol, tâmara, figos e damascos secos, alcachofra, acelga, agrião, alfafa, aipo, repolho, couve-flor, folhas de batata-doce, caruru, bertalha, couve-chinesa, quinoa, semente de papoula, salsa, cenoura, germe de trigo, chicória, feijões brancos e vagens, lentilhas, ervilhas, soja e derivados (tofu, tempeh, etc), centeio, farinha integral, aveia, melado [melaço], algas marinhas, ágar-ágar, flores de abóbora, ervilhas frescas com a vagem, beldroega, ora-pro-nobis.

Pesquisas realizadas em diversos países têm associado o surgimento de osteoporose à ingestão de proteínas animais, por estas últimas causarem o aumento da perda de cálcio pelos ossos e sua conseqüente eliminação pela urina. A proteína animal possui um teor mais elevado de enxofre que a proteína vegetal e acredita-se que isso estaria relacionado com o aumento da produção de ácidos metabólicos, provocando, assim, a perda de cálcio ósseo. A osteoporose é rara ou inexistente em regiões onde pouca ou nenhuma proteína animal é ingerida.

O aumento na ingestão de cálcio não é mais considerado um fator determinante na prevenção de osteoporose. Esquimós possuem a mais alta ingestão de cálcio dentre todos os povos - mais que 2000 mg por dia - e ainda assim, apresentam uma das mais altas taxas de incidência de osteoporose.

Um estudo de enfermeiras na Universidade de Harvard acompanhou 78.000 mulheres durante doze anos. Foi observado que aquelas que bebiam dois ou mais copos de leite ao dia apresentaram duas vezes maior chance de desenvolverem fractura de quadril que aquelas que bebiam um copo por semana ou menos.

Vegetarianos/vegans parecem apresentam maior eficiência em absorver bem como em reter o cálcio no organismo.

A deficiência de cálcio pode ser metabólica, dietética ou por carência de vitamina D. O excesso de proteínas na dieta (em especial as carnes), a falta de luz e de vitamina D também podem favorecer a carência de cálcio no organismo. Outros fatores que contribuem para a perda de cálcio: ansiedade, depressão, stress, diarréia, disfunções tireoideanas, excesso de gorduras, açúcar, fibras e ácido oxálico na comida, deficiência de ácido clorídrico, uso de antiácidos, tetraciclina, heparina, laxativos, diuréticos, anticonvulsivos, aspirina e corticóides, ingestão excessiva de fósforo por meio de alimentos processados (refrigerantes, carnes, molhos, queijos, conservas, pães e massas), pois o excesso de fósforo inibe a absorção de cálcio.

Sua deficiência pode provocar: nervosismo, espasmos musculares e nervosos, convulsões, intoxicação por chumbo, pressão alta, raquitismo, osteoporose em pessoas idosas, distúrbios endócrinos e insônia. A Organização Mundial de Saúde recomenda a ingestão diária de 500 mg desse elemento. Há, no entanto, povos (como os bantos) que ingerem em média 300 mg / dia e são muito saudáveis e crianças no Ceilão, Peru e África, que consomem 200 mg / dia e possuem um saldo positivo de cálcio.

Ferro

(Dose Diária Recomendada: 9 mg em homens adultos e mulheres em fase pós-menopausa e 13 mg para mulheres em idade pré-menopausa)

Necessário à produção de hemoglobina, a proteína do sangue que transporta o oxigênio às células.

Aumenta a resistência e a produção de energia. Também desempenha um papel importante na manutenção do sistema imunológico, na produção e regulação de vários neurotransmissores.

O ferro pode ser encontrado em diversas folhas verde-escuro (como agrião, escarola, dente-de-leão, folhas de beterraba, de batata-doce, de mandioca, espinafre, agrião, salsa), grãos integrais (especialmente o trigo), pistaches [pistáchios], amêndoas, nozes, castanha de caju, frutas secas (como damascos, passas, ameixas), brócolis [bróculos], ervilhas, feijões, certas sementes (como gergelim e girassol), melado [melaço], algas marinhas, figo, tofu, ananás, alcachofra, aspargo, aveia, banana, beterraba, cenoura, aipo, couve, limão, tâmara, morango, cereja, uvas, amora, mirtilo, vagens, avelã, kiwi, lentilha, levedo [levedura], pêssego, pinhão, pêra, pólen, maçã, ameixa, rabanete, etc.

Dois principais tipos de ferro podem ser encontrados nos alimentos:

Ferro não-heme: todo o ferro encontrado em alimentos vegetais e parte do ferro (40%) encontrado em carnes. É regulado naturalmente pelo organismo: tem sua absorção reduzida quando os níveis sangüíneos já estão altos e aumentada quando o teor de ferro no sangue é baixo.

Ferro heme: constitui cerca de 60% do ferro encontrado em tecidos animais. Esse ferro tende a alterar o mecanismo de regulação de absorção, entrando no sangue sendo ou não necessário.

Um dos problemas com o consumo de carnes (incluindo frango e peixe) é o risco de excesso de ferro, uma vez que esse ferro entra no organismo sendo ou não necessário. É conhecida a capacidade do ferro de gerar radicais livres capazes de causar mutações genéticas, placas ateroscleróticas e câncer [cancro]. Recentes estudos têm sugerido que os altos níveis de ferro no organismo podem estar associados ao desenvolvimento de câncer [cancro] e doenças cardíacas. Tem sido também estudada a relação de anormais níveis de ferro e o desenvolvimento de disfunções neurológicas, como Alzheimer. Em doses elevadas ou em formas de ferro inorgânico, porém, pode ter efeitos tóxicos, suprimir a resposta imunológica, agravar os quadros infecciosos e destruir a vitamina E.

Embora os alimentos ricos em ferro sejam abundantes, uma pessoa que se alimente quase unicamente de produtos refinados pode vir a apresentar deficiência de ferro.

Alguns estudos mostram que anemia devido a carência de ferro não é maior em vegetarianos do que no resto da população. Vegetarianos em alguns estudos se mostraram capazes de adaptar a mesmo a uma dieta reduzida em ferro por sua aumentada habilidade de absorção desse mineral.

Os vegetarianos que utilizam grandes quantidades de produtos derivados de soja deveriam aumentar seu consumo de alimentos ricos em ferro, pois foi observado que a proteína da soja bem como os fitatos presentes podem reduzir a absorção desse elemento.

Alimentos ricos em vitamina C, quando consumidos juntamente com alimentos vegetais ricos em ferro auxiliam na absorção desse mineral. Vários alimentos vegetais ricos em ferro contêm também vitamina C.

Ambas as formas de ferro podem ser prejudicadas na presença de cálcio (especialmente proveniente de laticínios) fosfatos, antiácidos, cafeína, tanino (de chás, vinho tinto, etc), aspirina, excesso de fibras ou ácido fítico, manganês, fósforo, zinco, ácido oxálico, cúrcuma, coentro e vitamina E sintética.

Em caso de uso de suplementos, melhor dar preferência aos quelatados (fumarato e gluconato de ferro por exemplo).

A deficiência de ferro se apresenta por sintomas como: cansaço, falta de fôlego, dor de cabeça, insônia, perda de apetite, fraqueza muscular, depressão, anemia, em crianças pode levar à hiperatividade, falta de atenção, apatia, dificuldade para aprender e irritabilidade.

Vitamin B12
(Dose Diária Recomendada: 1µg)

A vitamina B12 é essencial à intensa proliferação celular em certos tecidos, como no caso da medula óssea, responsável pela formação das hemácias (glóbulos vermelhos). Em caso de deficiência de B12, a produção de DNA é interrompida e podem surgir células anormais denominadas megaloblastos, resultando em anemia. Participa ainda no metabolismo de proteínas, carbohidratos e gorduras. A B12 desempenha um papel fundamental no metabolismo dos ácidos graxos [gordos] essenciais para a manutenção da mielina (camada lipoprotéica que reveste os nervos). A deficiência prolongada de B12 pode causar degeneração nos nervos e ainda irreversíveis danos neurológicos.

Um adulto contém em média 5000 - 10000 mg de B12 distribuídas entre o fígado e o sistema nervoso. Através de um mecanismo de reabsorção/reciclagem, o fígado é capaz de armazenar B12 suficiente para muitos anos, de onde se conclui não ser essencial a sua ingestão diária.

Essa vitamina talvez seja o item mais polêmico de uma dieta vegan. Alguns estudiosos aceitam que muito embora a B12 já tenha sido um dia abundante em vegetais, hoje em dia ela praticamente só é encontrada em produtos animais. Na realidade, ela é exclusivamente sintetizada por bactérias, nem animais ou plantas sintetizam essa vitamina. Mas plantas podem conter B12 desde que elas estejam em contato com bactérias que produzem essa vitamina, presentes no solo. Produtos animais são ricos em B12 apenas porque animais ingerem alimentos contaminados com essas bactérias, ou porque bactérias que habitam seu intestino podem produzi-la.

Apesar disso, a deficiência dessa vitamina não parece ser mais freqüente entre vegans do que no resto da população. Alguns estudos mostram níveis satisfatórios de B12 mesmo em vegans que tomavam suplementos há mais de dez anos. A maior parte dos casos de deficiência de B12 (em torno de 95%) se deve não à baixa ingestão dessa vitamina, mas sim à deficiências na sua assimilação.

A quantidade de B12 excretada pela bile pode variar de 1 a 10 microgramas por dia. Portanto, mesmo pessoas que tenham dietas pobres nessa vitamina podem levar até 20 anos para desenvolverem uma deficiência. Por outro lado, se há alteração nos mecanismos de sua absorção, no máximo em três anos se instala sua deficiência. Adultos vegans são capazes de reduzir a excreção biliar de B12 a valores como 1 µg/dia e reabsorver quase toda a quantidade, prolongando a deficiência dessa vitamina por até 20-30 anos.

A absorção de B12 requer a secreção, pelas células estomacais, de uma glicoproteína conhecida como fator intrínseco, juntamente com o ácido fólico (substância encontrada em todas as verduras escuras, hortaliças em geral, oleaginosas, nos cereais integrais e algumas frutas, em proporções nunca vistas na carne). O complexo B12-fator intrínseco é então absorvido no íleo (uma das porções do intestino delgado) na presença de cálcio. Algumas pessoas têm dificuldade de sintetizar o fator intrínseco, o que conduz à anemia perniciosa.

Há evidência de que bactéria no intestino delgado é capaz de sintetizar quantidades consideráveis de B12 biologicamente ativas. Desde que essa bactéria esteja presente nas porções iniciais ou intermediárias do intestino delgado, e desde que fator intrínseco esteja sendo produzido no estômago, é possível haver absorção de suficiente quantidade dessa vitamina em indivíduos sadios. A maior parte dos estudos, porém, parece encontrar bactéria que sintetiza B12 a habitar a porção final do intestino, após o íleo, que é onde ela seria absorvida. Essa bactéria é muito sensível e vários fatores podem levar à sua destruição.

Algumas experiências demonstraram haver fatores que podem levar à carência dessa vitamina, como, por exemplo:
  • carne, produtos animais e carbohidratos refinados usados em excesso podem mais que dobrar as necessidades de B12.
  • uso de açúcar, drogas, álcool, cafeína, laxantes, tabaco e produtos químicos podem destruir ou remover a B12 - ou as bactérias que a produzem
  • quantidades maiores que 500 mg de vitamina C podem destruir de 50 a 95% da B12 na comida.
  • albumina e gema de ovo podem reduzir a absorção de B12.
  • metais pesados ou falta de cálcio na comida reduzem o aproveitamento nutricional de B12.
  • lavação [lavagem] , cozimento e exposição à luz dos alimentos contendo B12 podem alterar a quantidade e/ou qualidade dessa vitamina.
Estudos sugerem que essa vitamina já foi um dia presente no solo, água e plantas, até o advento da agricultura moderna e das técnicas de processamento de alimentos. Alguns estudos mais recentes mostram que plantas cultivadas organicamente podem conter substanciais quantidades de B12.

Cereais fortificados, levedura enriquecida, clorela (ver nota abaixo) e suplementos de B12 são opções para aqueles que não ingerem produtos animais.

Vegans são aconselhados a fazerem uso de suplementos. Dar preferência às formas: metilcobalamina ou hidroxocobalamina. Muitos suplementos e cereais enriquecidos contêm cianocobalamina, que pode ter certa toxicidade. Várias empresas já comercializam essa vitamina totalmente sem produtos animais.

*Notas esclarecedoras:

Levedo [Levedura, em português de Portugal] de cerveja: é um rico suplemento de vitaminas do complexo B, mas em condições normais, não inclui a B12, a menos que tenha sido enriquecido.

Algas: a maior parte dos estudos de algas (Nori, Clorela, Spirulina) como fontes de B12 encontraram uma grande porção do que chamam análogos da B12. Essas substâncias não são biologicamente ativas e podem interferir na absorção da verdadeira B12. Mas há também estudos a mostrar o oposto, que em vários tipos de algas, a depender das condições em que essas se encontravam, é possível haver B12 biologicamente ativa. Há diversos casos de pessoas com deficiência que tiveram seus sintomas completamente eliminados após a ingestão de clorela, por exemplo.

{ O texto está escrito em português do Brasil. As traduções necessárias encontram-se entre parêntesis rectos [] }





A Pirâmide Vegetariana retrata graficamente a incrível variedade de alimentos vegetarianos disponíveis. Seguindo os seus princípios simples, você desfrutará tanto da boa comida como de excelente saúde.
No topo da pirâmide, aquilo que você deve comer menos. Ao meio, para comer moderadamente e, finalmente na base, tudo o que devemos comer mais! ( fonte: O Livro essencial da cozinha vegetariana - Editora Paisagem )

Desta forma, ainda segundo o livro, podemos categorizar desta forma:

COMA MAIS:
Trigo, arroz, cevada, milho, aveia, centeio, milho miúdo, trigo sarraceno;
Derivados de cereais, como: massa, pão, cereais integrais;
Frutas
Legumes

COMA MODERADAMENTE:
Produtos lácteos como: leite, iogurte e queijo;
Leguminosas como ervilhas, feijões de todos os tipos, lentilhas;
Frutas secas

COMA MENOS:
Acúcar;
Mel;
Manteiga;
Óleos;
Álcool;
Café

TABELA BÁSICA de onde encontrar os nutrientes que o nosso corpo precisa para termos uma alimentação Vegetariana correcta e saudável:

PROTEÍNAS: Grãos, feijões, leguminosas, cereais integrais e frutos secos.

CARBOIDRATOS: No açúcar das frutas, nos cereais como trigo, aveia, cevada, centeio, arroz, milho, painço. Nas raízes como cenoura, beterraba, nas batatas, inhame, nos feijões, ervilha, lentilha, grão de bico e no macarrão.

FIBRAS: Frutas secas, cereais integrais e legumes.

GORDURAS: Abacate, gergelim, feijão, cereais, nozes, azeitonas, sementes de abóbora, azeite, óleo de canola, de oliva e linhaça.

VITAMINA A: Nos vegetais de cores vibrantes como cenoura, pimentão vermelho, manga e espinafre

VITAMINA B: Levedura de cerveja, gérmen de trigo, cereais integrais, nozes, feijões, sementes e germinados, abacate e banana.

VITAMINA C: Laranjas, limões, vegetais de folhas verdes, morango, amora, kiwi, abacaxi, melão e tomate.

VITAMINA D: Nos banhos de sol ( bastam 20 minutos diários ).

VITAMINA E: Soja, gérmen de trigo, sementes de girassol, tomates, tahine ( pasta de gergelim ) e nozes.

VITAMINA K: Folhas verdes, lentilhas, ervilhas, nabo, brócolis, couve-flor, germinado de feijão, óleo de canola e azeite

CÁLCIO: Folhas verde-escuro, tofu, tahine, castanhas, raízes, feijão, ervilha, lentilha, nozes e frutas secas

FERRO: Vegetais verde-escuros, tofu, feijões, gérmen de trigo e frutas secas.

MAGNÉSIO: Vegetais de folhas verdes, soja, castanhas, amêndoas, cereais integrais, gérmen de trigo, bananas, ameixas e figo seco.

POTÁSSIO: Folhas verdes. batata. tomate. banana. abacate. frutas secas. grãos integrais, nozes, castanhas e sementes.

SELÊNIO: A castanha-do-pará é sua principal fonte. Basta uma por dia.

ZINCO: Legumes, gergelim, sementes de abóbora, amendoim, lentilhas e cereais integrais, amêndoas e tofu.


publicado por Maluvfx às 04:24
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
 O que é? |

Quinta-feira, 19 de Abril de 2012
Licopeno
Benefícios do licopeno
O licopeno é um carotenóide presente no tomate, porém sua absorção é mais satisfatória quando submetido ao calor do cozimento, isto porque o calor rompe as membranas celulares e libera o licopeno de uma matriz de proteínas e fibras facilitando assim o seu contato com a parede intestinal. Com isso, as melhores fontes são molhos e sucos de tomates.

Sabe-se também que os tomates que amadurecem no pé são mais ricos em licopeno que aqueles que amadurecem depois de colhidos. Além do tomate, outras fontes de licopeno são : melancia, cidras, goiaba.

Este poderoso antioxidante está sendo usado no combate a esterilidade masculina e na prevenção de osteoporose feminina no período pós menopausa. Existem algumas evidências de que o consumo regular de licopeno diminui a probabilidade do indivíduo ter câncer de próstata.

Estudos mostram que o consumo deste carotenóide pelo menos 2 vezes na semana reduz em 34 % os riscos de câncer de próstata. Alguns trabalhos associam níveis elevados de licopeno a uma menor incidência de câncer de mama devido a sua ação antioxidante, o que minimiza o estresse oxidativo, uma das causas da doença.

P.S. O famoso ketchup é rico em licopeno, assim como outros molhos à base de tomate que são industrializados. Mas devem ser usados com moderação. É para comer a comida com o molho e não o molho com a comida! E não usar o fato do molho ser rico em licopeno e adicioná-lo em todas as refeições. Pois como ele é industrializado, também é rico em conservantes, sódio e açúcar que em excesso podem ter efeitos tóxicos no organismo comprometendo assim a sua saúde. Portanto deve-se dar preferência aos molhos naturais, caseiros e feitos à pouco tempo, pois são fáceis de estragar.

Licopeno é uma substância carotenóide que dá a cor avermelhada ao tomate, melancia, goiaba, entre outros alimentos. É um antioxidante que, quando absorvido pelo organismo, ajuda a impedir e reparar os danos às células causados pelos radicais livres.

Os radicais livres são produzidos durante funções normais do corpo humano, como respiração e atividade física. Também são formados como resultado do hábito de fumar, superexposição ao sol, poluição do ar e estresse. São altamente reativos e, se não controlados, podem danificar as moléculas importantes das células saudáveis do corpo humano. Isso pode contribuir para o desenvolvimento de várias doenças, como câncer e doenças cardiovasculares.

Assim como o betacaroteno, o licopeno é transportado no sangue humano por meio de lipoproteínas, principalmente a LDL. A principal função da LDL é fornecer colesterol para as células do corpo e, ao fazer isso, também fornece licopeno e betacaroteno. Os maiores níveis de licopeno e betacaroteno são encontrados no fígado (principal local de armazenamento). No tecido adiposo, a taxa de carotenóides é muito baixa. No entanto, devido à quantidade total de tecido adiposo no organismo, também pode ser um importante local de armazenamento.

A melhor fonte de licopeno é o tomate.
É um alimento pouco calórico, com seus efeitos antioxidantes, fonte de fibras e bem utilizado na culinária pela sua cor, melhorando a aparência dos pratos. O tomate é matéria prima que pode entrar em diversas refeições. Quanto maior a concentração de tomate em uma receita, maior o teor de licopeno e os benefícios por ele proporcionados. Este possui maior aproveitamento quando combinado a uma pequena quantidade de gordura, preferencialmente do tipo monoinsaturada.

Encontra-se presente em alimentos como o tomate (média de 3,31 mg em 100 gr) e o mamão (média de 3,39 mg em 100 gr). A absorção do licopeno é maior quando o alimento em questão é cozido, pois o rompimento das paredes celulares facilita o contato deste com a mucosa intestinal. O licopeno da melancia e do mamão é muito biodisponível (em torno de 60%), enquanto o do tomate cru está em 13%, contra 70% do mesmo quando cozido. Assim sendo, alimentos como a massa e o molho de tomate são ótimas fontes desse antioxidante valioso e barato.

Existem algumas evidências de que o consumo regular de licopeno diminui a probabilidade do indivíduo ter câncer de próstata e dos pulmões. De fato, estudos australianos em fase avançada estão demonstrando que o uso regular do licopeno reduz a incidência de alguns tumores viscerais.











Fontes de Licopeno

Pesquisadores e seus estudos têm demonstrado que o licopeno é um flavonóide que está intimamente relacionada com o beta-caroteno . O consumo de licopeno através de uma dieta constitui um domínio de 50% das fontes de carotenóides no soro do sangue humano. Então, você pode estar ansioso para saber o que é o licopeno, exatamente? Bem, dizem que ela pode ser definida como um pigmento que dá cor ao aparecimento de vários alimentos e frutas. Como a melancia tem a cor vermelha e toranja rosa tem, a comida de outras fontes de licopeno similarmente realizar este potente antioxidante chamado licopeno poderes . Leia mais para saber sobre fontes de licopeno.

Fatos benéficos do Licopeno
Como sabemos que o licopeno é um carotenóide que são pigmentos naturais, estes pigmentos atuam como antioxidantes para um corpo humano. Nosso conhecimento de antioxidantes que sempre nos lembrou que reduzem os radicais livres presentes no organismo e fortalecer o sistema imunológico também. Devido a este ponto mais licopeno como a substância reduz o risco elevado de câncer de pulmão, doenças do coração, outros tipos de câncer de doenças como o cervical, digestivo, do aparelho de mama, câncer de próstata e doenças no corpo humano. Ele ajuda a regular uma saudável e um bom sistema digestivo ao longo da vida.


Fontes de licopeno
Como é altamente essencial para a nossa dieta regular para ter um suplemento de licopeno , inclusive na mesma, mesmo estes suplementos podem ser encontrados em vários lugares como, uma loja de varejo, através da Internet ou em qualquer médico lojas locais. Bem, qualquer que seja sua fonte de compra, apenas garantir que você comprá-lo a partir de uma leitura loja de confiança previamente todos os detalhes do produto eo preço varia. Geralmente, as fontes de licopeno podem ser comidas ou frutas que contêm pequenas quantidades do mesmo neles. Tais fontes totalmente ajudar a manter uma dieta equilibrada e saudável, se o consumo está em uma base regular. Então, vamos dar uma olhada em alguns nomes comuns de alimentos e frutas que servem de licopeno como suplemento na mesma.

Fontes de Licopeno: alimentos e frutas
Legumes e frutas vermelhas
Melancias
Tomate
Damascos
Toranja vermelha
Goiabas vermelhas
Alguns produtos processados de tomate

Com um breve olhar para essas fontes, você deve ter recebido uma essência do sujeito que o licopeno é algo que não é formulado pelo corpo, mas tem que ser consumida através de produtos hortícolas e frutos em nossa dieta regular. Das duas diferenciações de fontes de licopeno processados e matérias-primas, a sua visita que o licopeno como fonte é melhor quando consumido ingerida através de alimentos cozidos ou processados e não-primas.
Aqui está uma tabela abaixo que incluem algumas das melhores fontes de licopeno.

Licopeno Fontes: Frutas e Comida
Licopeno: Fontes
alimentares ricas
Valor da dosagemMedido pelo 
mcg Licopeno
Espargos4 cru ou cozido18
Espargos porção/chávena, cozinhado43
Cenourasporção/chávena1
Suco de cenouraporção/chávena5
Pimentas 1 pimenta367
Feijão, cozidoporção/chávena1298
Tomates secos ao sol1 porção/chávena815
Salsa1 colher de sopa1682
Molho de tomate1 colher de sopa2506
Toranja rosa1 / 2 grapefruit1745
Tomateporção/chávena4631
Tomate, inteiro porção/chávena , enlatados6480
Melancia porção/chávena , em bruto6889
Sopa de Tomateporção/chávena12608
Molho de Tomateporção/chávena37122

Com esta visão geral das fontes de licopeno de ‘alimentos’ n frutos tabela acima, que acaba de fazer-se ciente das vantagens do licopeno , aprendendo a quantidade exata de dosagem que é suposto para tomar polegadas Seria melhor se você consultou um médico de saúde antes de iniciar qualquer rotina de dieta complementar. Médicos são as melhores pessoas para avisá-lo se há algum efeito colateral que impliquem os suplementos que você tomar-like, anti-reações ou alergias alimentares, etc Todos esses indicadores são fundamentais antes de iniciar qualquer tipo de regime.


publicado por Maluvfx às 10:48
link do post | comentar | favorito
 O que é? |

Quinta-feira, 12 de Janeiro de 2012
Os benefícios da Semente de Linhaça

É considerada como um alimento funcional, ou seja, que contém, além de seus nutrientes básicos (carboidratos, proteínas, gorduras e fibras), elementos que podem diminuir o risco de algumas doenças pois seu uso contínuo pode proporcionar aumento da defesa orgânica e redução do ritmo de envelhecimento celular.

Na composição da semente de linhaça estão presentes proteínas, fibras alimentares e ácidos graxos poliinsaturados (Ômega 3 e Ômega 6), que lhe conferem a propriedade de alimento funcional. A semente de linhaça é a mais rica fonte de Ômega 3 existente na natureza.

Os investigadores do INSTITUTO CIENTÍFICO PARA ESTADO DA LINHAÇA DO CANADÁ e dos Estados Unidos, têm enfocado sua atenção no rol desta semente na prevenção e cura de numerosas doenças degenerativas.

Muitos estudos estão sendo desenvolvidos para confirmar os benefícios do consumo regular da semente de linhaça. Alguns desses estudos afirmam que a linhaça poderia ajudar a baixar os níveis de colesterol, pois é rica em fibras solúveis. Também esta sendo estudada outras funções e tem benefícios como:

-- Rejuvenescedor
-- Baixa de peso
-- Auxilia no combate a anemia
-- Auxilia no combate ao câncer: de mama, de próstata, de colon, de pulmão, etc...
-- Auxiliar no combate à acne.
-- Auxiliar no equilíbrio hormonal, amenizando distúrbios causados pela TPM e menopausa;
-- Auxiliar na diminuição do risco de aterosclerose;
-- Auxiliar no controle Diabete - da glicemia
O consumo regular de linhaça favorece o controle dos níveis de açúcar no sangue.
Esta é uma excelente notícia para os insulina dependentes.
-- Vitalidade Física
-- Sistema Digestivo
-- Sistema Nervoso
-- Doenças Inflamatórias
--Retenção de Líquidos
-- Sistema Imunológico
-- Sistema Cardiovascular
-- Funcionamento Intestinal
-- Para o auxílio na redução de colesterol ruim, dos sintomas de TPM, menopausa
-- Para combater a agressividade e a obesidade
-- Condições da Pele e do Cabelo

Veja a composição nutricional de 15 g da Semente de Linhaça:

Valor calórico 43 Kcal
Carboidratos 1 g
Proteínas 2 g
Gorduras totais 3 g
Gorduras Saturadas 0 g
Gorduras Trans 0 g
Fibra alimentar 3 g
Ômega-3 58%
Ômega-6 16 %
Sódio 7,8 mg

Além disso, é a maior fonte alimentar de lignanas, compostos fitoquímicos parecidos com o estrogênio, que teriam propriedades anticancerígenas, principalmente em relação ao câncer de mama e cólon. Ainda contém vitaminas B1, B2, C, E e Caroteno e minerais como ferro, zinco, alguma quantidade de potássio, magnésio, fósforo e cálcio.

A semente de linhaça moída trás mais benefícios nutricionais que a semente inteira, que possui uma casca dura, difícil de digerir. Portanto, uma forma fácil quebrar as sementes é passá-la em um processador ou liquidificador na tecla pulsar, para que não vire pó. Depois, guarde-a em refrigerador, e deixe fora da luz. Desta forma, a utilização será ainda melhor.
As sementes podem ser utilizadas em iogurtes, saladas, sucos, vitaminas, misturada à cereais, massas de pães e bolos e em todos os outros alimentos. Também pode substituir o óleo ou gordura utilizada em uma receita. Por exemplo, se uma receita pedir 1/3 xícara (chá) de óleo, use 1 colher (sopa) de semente de linhaça moída, em substituição.

Vitalidade Física:
Um dos mais notáveis indicativos de melhora devido ao consumo de linhaça é o incremento progressivo na vitalidade e na energia.
A linhaça aumenta o coeficiente metabólico e a eficácia na produção de energia celular. Os músculos se recuperam da fadiga do exercício.

Baixa de Peso:
A linhaça moída é excelente para baixa de peso, pois elimina o colesterol em forma rápida .
Ajuda a controlar a obesidade e a sensação desnecessária de apetite, por conter grandes quantidades de fibra dietética, tem cinco vezes mais fibra que a aveia. Se você deseja baixar de peso, tome uma colher a mais pelas tardes.

Combate ao Cancer:
de mama, de próstata, de colon, de pulmão, etc...
A semente de linhaça contém 27 componentes anti-cancerígenos , um deles é ; a LIGNINA.
A semente de linhaça contém 100 vezes mais Lignina que os melhores grãos integrais.Nenhum outro vegetal conhecido até agora iguala essas propriedades. Protege e evita a formação de tumores. Só no câncer se recomenda combinar semente de linhaça moída com queijo cottage baixo em calorias.

Condições da Pele e do Cabelo:
Com o consumo regular de sementes de linhaça você notará como sua pele volta-se mais suave . É útil para a pele seca e pele sensível aos raios do sol. É ideal para problemas na pele , tais como: psoríase e eczema .
Recomenda-se também como máscara facial para uma limpeza profunda do cútis. Ajuda na eliminação do pano branco, manchas, acne, espinhas, etc.
É excelente para a calvície . Essa é uma boa notícia para quem sofre de fixar e NUTRIR teu cabelo. Não use vaselinas que danificam teu coro cabeludo e teu cabelo.

Sistema Digestivo:
Prevêem ou cura o câncer de colon. Ideal para artrite, prisão de ventre, acidez estomacal.
Lubrifica e regenera a flora intestinal .
Expulsão de gases gástricos .É um laxante por excelência.
Previne os divertículos nas paredes do intestino. Elimina toxinas e contaminadores.

Sistema Nervoso:
É um tratamento para a pressão. As pessoas que consomem linhaça sentem uma grande diminuição da tensão nervosa e uma sensação de calma.
Ideal para pessoas que trabalham sob pressão. Melhoras funções mentais dos anciãos , melhora os problemas de conduta
(esquizofrenia).
A linhaça é uma dose de energia para teu cérebro, porque contém os nutrientes que reduzem mais eurotransmissores
(reanimações naturais) .

Doenças Inflamatórias:
O consumo de linhaça diminui as condições inflamatórias de todo tipo.
Refere-se a todas aquelas doenças terminadas em "TITE", tais como: gastrite, hepatite , artrite, colite, amidalite, meningite , etc.

Retenção de Líquidos:
O consumo regular de linhaça, ajuda aos rins a excretar água e sódio. A retenção de água (Edema) acompanha sempre à
inflamação de tornozelos, alguma forma de obesidade, síndrome pré-menstrual, todas as etapas do câncer e as doenças cardiovasculares.

Sistema Imunológico:
A linhaça alivia alergias, é efetiva para o LUPUS.
A semente de linhaça por conter os azeites essenciais Omega 3, 6, 9 e um grande conteúdo de nutrientes que requeremos constantemente, faz com que nosso organismo fique menos doente, por oferecer uma grande resistência às doenças.

Sistema Cardiovascular:
É ideal para tratar a arteriosclerose, elimina o colesterol aderido nas artérias, esclerose múltipla, trombose coronária alta pressão arterial , arritmia cardíaca , incrementa as plaquetas na prevenção da formação de coágulos sanguíneos.
É excelente para regular o colesterol ruim .
O uso regular de linhaça diminui o risco de padecer de doenças cardiovasculares.
Uma das características UNICAS da linhaça é que contém uma substância chamada taglandina, a qual regula a pressão do sangue e a função arterial e exerce um importante papel no metabolismo de cálcio e energia.
O Dr. J H. Vane, ganhou o prêmio Nobel de medicina em 1962 por descobrir o metabolismo dos azeites essenciais Omega 3 e 6 na prevenção de problemas cardíacos.
Uma outra forma de conseguir os benefícios da linhaça é consumir o óleo de linhaça, que é extraído da semente inteira, usando métodos de extração desenvolvidos especialmente para este fim (a frio). O produto obtido é engarrafado (para ser usado em saladas ou pratos frios) ou colocado em cápsulas gelatinosas, sendo utilizado como suplementação de ômega-3.

Funcionamento Intestinal:
Para a melhora do funcionamento intestinal: de uma noite para o dia, coloque 1 colher (sopa) de semente de linhaça em ½ copo de água e deixe "descansar" por 12 horas, tome somente a água em jejum pela manhã.
Para evitar o desperdício as sementes podem ser adicionadas sobre saladas, iogurtes vitaminas...

Para o auxílio na redução de colesterol ruim, dos sintomas de TPM, menopausa:
Para o auxílio na redução de colesterol ruim, dos sintomas de TPM, menopausa.... Consuma diariamente 1 colher (sopa) de semente de linhaça preferencialmente triturada (como uma farofinha) sobre os alimentos. Evite que as sementes passem por processos térmicos de aquecimento para que sua gordura boa não oxide.

Para combater a agressividade e a obesidade:
duas colheres de sopa de linhaça trituradas no liquidificador. Coloca-se água ou suco para adoçar. Todos os dias; tomados em intervalos durante o dia na média de 4x ao dia; essas duas colheres.
1 colher de sopa de sementes de linhaça moídas (moa uma xícara no liquidificador e guarde o restante no freezer) - 3 colheres de sopa de água
Modo de preparo:
Misture a farinha e a água em uma tigela pequena. Deixe descansar por 1 a 2 minutos. (Torna-se muito espessa se ficar mais tempo). Em algumas receitas abundantes em líquidos, as sementes de linhaça moídas podem ser adicionadas diretamente aos ingredientes secos.

Modo de Usar na maioria dos casos:
Duas colheres de sopa por dia, batidas no liquidificador, se mistura em um copo de suco de fruta, ou sobre a fruta, ou com a aveia, ou iogurte no café da manhã ou no almoço. Podem tomar pessoas de todas as idades (crianças, adolescentes e anciãos). Inclusive mulheres grávidas.


publicado por Maluvfx às 03:47
link do post | comentar | favorito
 O que é? |

Sexta-feira, 13 de Agosto de 2010
Alimentos que não podem faltar na sua mesa
Nutricionistas apontam quais são os produtos que não podem faltar em sua dieta. Feijão, batata, azeitonas e chocolate amargo estão entre eles
Segundo os nutricionistas, azeitona, tomate, chocolate amargo e toranja devem fazer parte de sua cardápio
Médicos e nutricionistas vivem repetindo que uma alimentação balanceada é o segredo para uma vida mais saudável. A lista do que se deve evitar (açúcar, frituras, refrigerantes) é imensa e todos conhecem. Mas quais alimentos podem nos fornecer, de fato, um benefício maior para nossa saúde? 

O site da revista britânica Times ouviu diversos nutricionistas que apontaram quais são os alimentos que você não pode deixar de fora de sua mesa. A lista é bem diversificada e agrada a todos os paladares. Aproveitem as dicas: 

Feijão cozido Rico em fibra solúvel , o que ajuda a baixar o açúcar do sangue e os níveis de colesterol. Além disso, o alimento fornece 6 gramas de proteína por porção média, aproximadamente a mesma quantidade de um ovo de tamanho médio. A dica é consumi-lo com torradas, com batata cozida, ou simplesmente puro. 

Chá verde 
Rico em polifenóis (antioxidantes), o chá verde tem funções antibacteriana e antitrombóticas. A milenar bebida do Oriente ainda ajudar a regular o sistema imunológico e a combater a cárie dentária. 

Salsa 
Mastigar algumas folhas após uma refeição pode ajudar a manter seu hálito fresco. Rica em clorofila, a salsa é uma fonte de vitamina C, um antioxidante fundamental que ajuda a proteger o ataque dos radicais livres. 

Maçã A fruta possui espantosos 150 supernutrientes, entres eles a quercetina, um antioxidante que aparece em pesquisas de laboratório como um aliado no combate ao vírus da herpes. É importante ressaltar que a quercetina fica logo abaixo da casca da maçã, por isso ela não deve ser retirada. 

Grapefruit (toranja) Diz-se que comer uma toranja antes de cada refeição ajuda a reduzir a ingestão de calorias. Isso acontece porque ela abaixa a quantidade de açúcar no sangue e faz com que as pessoas se sintam mais satisfeitas. Grapefruits também possuem ácido glucárico capaz de ajudar na redução do colesterol. 

Tomate O vegetal é conhecido como uma importante fonte de licopeno, um importante protetor contra o câncer de próstata. Estudos revelam que os homens que comem tomate (em purê, suco ou sopa) de dez ou mais vezes por semana têm 35 % menos chances de desenvolver câncer de próstata. 

Romã 
Cientistas israelenses descobriram que pessoas que bebem 100ml de suco de romã por dia têm grandes chances de reverter danos nas artérias. Isso acontece porque a fruta é rica em paraoxonase, uma enzima que “quebra” o colesterol em nosso organismo. 

Batata
A batata cozida fornece rápida liberação de energia, tornando-se uma boa opção ao pós-treino físico As batatas liberam energia de uma forma lenta, o que ajuda a manter os níveis de açúcar no sangue e o apetite sob controle entre as refeições. 

Aveia Rica em fibra solúvel chamada beta glucan, que reduz o colesterol "ruim". A aveia também nos dá a sílica, um mineral que os pesquisadores acreditam ser vital para ter uma boa pele. 

Ovos Poacher 
O ovo fornece a lecitina, um componente vital para os transmissores no nosso cérebro que atuam na função da memória. Os cientistas acreditam que comer dois ovos no almoço faz com que você tenha uma sensação de saciedade durante o resto do dia. 

Ervilhas Uma porção de 140g de ervilhas contém até 16mg de vitamina C. O alimento também é rico em vitamina B, essencial para um sistema nervoso saudável. Além disso, a ervilha é rica em fibra solúvel que ajuda a manter o colesterol sob controle. 

Ameixa seca Os especialistas recomendam misturá-las com leite e iogurte para fazer um poderoso antioxidante. Os açúcares especiais contidos nas ameixas também irão ajudar na prevenção do câncer do intestino. 

Chocolate amargo 
As variedades escuras (acima de 70% de cacau) são ricas em antioxidantes. Estudos têm demonstrado que o flavanol presente no cacau atua como uma aspirina no organismo, o que pode deixar o sangue mais fino. 

Blueberries congeladas 
Uma maneira fácil e gostosa de prevenir o envelhecimento do cérebro e manter-se disposto durante o dia. A dica é consumir a fruta no café da manhã, misturada ao iogurte. 

Azeitonas 
As azeitonas são boas fontes de gorduras monossaturadas, compostos fenólicos e vitamina E, que são importantes para a saúde das artérias e para garantir uma vida mais longa. 

Amêndoas 
Segundo os especialistas, vale a pena trocar o consumo de biscoitos e bolos por um punhado de amêndoas. A pesquisa mostra que isso vai ajudá-lo a sentir-se satisfeito por mais tempo, além de auxiliar na desobstrução das artérias. 

Chilli 
A iguaria tem o poder de aumentar o seu metabolismo e, com isso, a queima de calorias pode aumentar cerca de 15% durante duas horas depois de você comer o molho. 

Massas integrais A variedade de pão feito com trigo integral tem um índice glicêmico menor do que o pão normal e libera a energia lentamente. É recomendado para esportistas que precisam de músculos com energia. 

Cúrcuma 
Muito usada na culinária indiana, a especiaria é uma grande fonte de curcumina, que é apontada como um poderoso anti-inflamatório. Além disso, pode ajudar a combater o câncer do intestino. Batata


publicado por Maluvfx às 06:10
link do post | comentar | favorito
 O que é? |

Alimentos funcionais e seus benefícios à saúde e beleza
Alimento funcional é aquele alimento ou ingrediente que, além das funções nutricionais básicas, quando consumido como parte da dieta usual, produz efeitos metabólicos e/ou fisiológicos e/ou efeitos benéficos à saúde, devendo ser seguro para consumo sem supervisão médica. A eficácia e segurança desses alimentos deve ser assegurada por estudos científicos. O termo alimentos funcionais foi primeiramente introduzido no Japão em meados dos anos 80 e se refere aos alimentos processados contendo ingredientes que auxiliam funções específicas do corpo além de serem nutritivos.


Para que os benefícios sejam alcançados é necessário que o consumo desses alimentos seja regular. O ideal seria que que as pessoas passem a utilizar mais vegetais, frutas, cereais integrais em sua alimentação, já que grande parte dos componentes ativos estudados estão contidos nesse alimentos. Uma outra dica é substituir em parte o consumo de carne de vaca, embutidos e outros produtos à base de carne vermelha por soja e derivados (especialmente carne de soja e isolados protéicos de soja) ou peixes ricos em ômega 3.

Os alimentos funcionais, ou nutracêutico, não curam doenças, apresentam princípios ativos capazes de prevenir ou reduzir seu risco. Entre as doenças mais investigadas estão as cardiovasculares, câncer, hipertensão, diabetes, doenças inflamatórias e intestinais, algumas afecções reumáticas e Mal de Alzheimer. No entanto, esses alimentos só funcionarão se fizerem parte de uma dieta balanceada e equilibrada, acompanhada de exercícios físicos.



ALIMENTOS FUNCIONAIS E O CÂNCER

Uma alimentação rica em antioxidantes é indicada para todos os tipos de cânceres. Alimentos que estimulem o sistema imunológico devem ser adicionadas a essa dieta.

Os alimentos antioxidantes , encontram-se em especial nos vegetais, pelo que se debate cada vez mais o papel dos frutos, legumes e cereais, verdadeiros alimentos funcionais, na saúde e qualidade de vida.

Alguns dos componentes da soja, dentre os quais se destacam os isoflavonóides, podem exercer efeitos protetores, e têm sido utilizados para explicar a baixa incidência de alguns cânceres no Oriente, em especial o câncer de próstata, mama e colón. Os isoflavonóides são fito-estrógenos, que possuem semelhança estrutural com os estrógenos endógenos e apresentam atividades estrogênicas e anti-estrogênicas. Estudos críticos atuais têm concluído que os produtos da soja são capazes de exercer efeitos fisiológicos teoricamente relacionados ao risco de alguns cânceres, mas ainda não é possível afirmar que eles possam contribuir para a baixa mortalidade por câncer na Ásia. O uso prolongado, desde a infância, pode ser mais eficiente.
Fonte: BIREME

COMPONENTES ATIVOS: PROPRIEDADES BENÉFICAS, EXEMPLOS DE ALIMENTOS FUNCIONAIS QUE CONTÉM O COMPONENTE

Isoflavonas Ação estrogênica (reduz sintomas menopausa) e anti-câncer: Soja e derivados;

Proteínas de soja Redução dos níveis de colesterol Soja e derivados;

Ácidos graxos ômega-3 (EPA e DHA) Redução do LDL-colesterol; ação antiinflamatória. Indispensável para o desenvolvimento do cérebro e retina de recém nascidos;

Acido a-linolênico Estimula o sistema imunológico e tem ação antiinflamatória: Óleos de linhaça, colza, soja; nozes e amêndoas;

Catequinas Reduzem a incidência de certos tipos de câncer, reduzem o colesterol e estimulam o sistema imunológico: Chá verde, cerejas, amoras, framboesas, mirtilo, uva roxa, vinho tinto;

Licopeno Antioxidante, reduz níveis de colesterol e o risco de certos tipos de câncer como de próstata: Tomate e derivados, goiaba vermelha, pimentão vermelho, melancia;

Luteína e Zeaxantina Antioxidantes, protegem contra degeneração macular: Folhas verdes (luteína)Pequi e milho (zeaxantina);

Indóis e Isotiocianatos Indutores de enzimas protetoras contra o câncer, principalmente de mama: Couve flor, repolho, brócolis, couve de bruxelas, rabanete, mostarda;

Flavonóides Atividade anti-câncer, vasodilatadora, antiinflamatória e antioxidante: Soja, frutas cítricas, tomate, pimentão, alcachofra, cereja, salsa, etc

Fibras solúveis e insolúveis Reduz risco de câncer de cólon, melhora funcionamento intestinal. As solúveis podem ajudar no controle da glicemia e no tratamento da obesidade, pois dão maior saciedade: Cereais integrais como aveia, centeio, cevada, farelo de trigo, etc, leguminosas como soja, feijão, ervilha, etc, hortaliças com talos e frutas com casca;

Prebióticos - frutooligossacarídeos, inulina Ativam a microflora intestinal, favorecendo o bom funcionamento do intestino: Extraídos de vegetais como raiz de chicória e batata yacon

Sulfetos alílicos (alil sulfetos) Reduzem colesterol, pressão sanguínea, melhoram o sistema imunológico e reduzem risco de câncer gástrico: Alho e cebola

Lignana, Inibição de tumores hormônio-dependentes: Linhaça, noz moscada;

Tanino, Antioxidante, anti-séptico, vaso-constritor; Maçã, sorgo, manjericão, manjerona, sálvia, uva, caju, soja, et;

Estanóis e esteróis vegetais, Reduzem risco de doenças cardiovasculares: Extraídos de óleos vegetais como soja e de madeira;

Probióticos - Bífidobacterias e Lactobacilos, Favorecem as funções gastrointestinais, reduzindo o risco de constipação e câncer de cólon: Leites fermentados, Iogurtes e outros produtos lácteos fermentados;

Limonóides, Estimulo à produção de enzimas protetoras contra o câncer e redução do colesterol: Frutas cítricas. 


publicado por Maluvfx às 06:00
link do post | comentar | favorito
 O que é? |

Quinta-feira, 12 de Agosto de 2010
Alimentos funcionais
Nutritivos, contribuem na prevenção de doenças.










O agrião, em que seu consumo purifica o sangue, além de auxiliar na queima de gorduras acumuladas no organismo.





Brócolis e couve também devem ser consumidos com freqüência. Eles contêm substâncias que estimulam as enzimas do fígado, o que também ajuda a eliminar gordura.



Alecrim, além de facilitar o processo digestivo, a erva é capaz de inibir a ação de bactérias responsáveis por inflamações e é boa para ativar a circulação.





As castanhas combatem a obesidade, doenças cardíacas, perda de massa muscular e câncer ( mas fuja das versões salgadas e torradas, que têm mais sódio e aumentam a pressão sangüínea).


O abacaxi desincha e tem fibras que produzem sensação de saciedade.




O limão faz uma limpeza geral no fígado, permitindo que ele coloque as impurezas para fora.



Mamão além de ser rico em vitamina C, a fruta favorece o processo digestivo.





Cenoura fortalece a circulação sanguínea e o funcionamento dos olhos.



Um tomate é um puro alimento para o coração e circulação sanguínea.




As uvas são também um alimento profundamente vitalizador para o coração e sangue.


Nozes ajudam a desenvolver mais de 3 dúzias de neurotransmissores para o funcionamento do cérebro.





 Os feijões realmente curam e ajudam a manter a função renal.



 Aipo atingem especificamente a força dos ossos. Se não tiver sódio suficiente na sua dieta o organismo retira sódio dos ossos, deixando-os fracos. Este alimento reabastece as necessidades do esqueleto. Além de ter enorme capacidade desintoxicante e diurética e baixíssimo valor calórico.


Berinjelas, abacates e pêras ajudam à saúde e funcionamento do ventre e do cervix feminino. Pesquisas mostram que quando uma mulher come um abacate por semana, equilibra os hormônios, não acumula gordura indesejada na gravidez e previne cancer cervicais.


Figos estão cheios de sementes que aumentam a mobilidade e aumentam os números do esperma masculino, assim como ajudam a ultrapassar a esterilidade masculina.
  



As batatas doces equilibram o índice glicêmico de diabéticos.


Azeitonas ajudam a saúde e funcionamento dos ovários.




Tangerinas, laranjas e outros citricos ajudam à saúde das mamas e à circulação linfática, dentro e fora das mamas. A laranja, entre outras qualidades, tem potássio, que depura e dissolve as gorduras acumuladas



As cebolas ajudam a limpar materiais excedentes de todas as células corporais. Até produzem lágrimas que lavam as camadas epiteliais dos olhos


publicado por Maluvfx às 09:02
link do post | comentar | favorito
 O que é? |

Tudo ou quase tudo sobre o Kefir

Nome esquisito?


Um pouco da história
Vem de muito tempo, por volta de 1222 e, de acordo com a história, cavaleiros nômades da famosa Horda Dourada de Gengis Khan, por enfrentarem longos dias em cima do lombo de animais e sem tempo de buscar alimentos, carregavam leite de égua em sacos de couro. Resultado: o líquido fermentou e produziu uma bebida espessa e ácida chamada koumiss. Os descendentes da horda mongóis, que se estabeleceram nas montanhas ao sul do Cáucaso, na Rússia, desenvolveram um herdeiro do koumiss, ao qual deram o nome de kefir: uma bebida à base de leite, cultivada por microorganismos, densa e refrescante.
Tempos depois, um professor e famoso cientista russo de nome Mechinkov soube da longevidade dos povos caucasianos e creditou o fato aos efeitos do consumo regular de kefir. Recentemente, o alimento ganhou destaque na dieta proposta pelo reconhecido médico americano Nicholas Perricone (descobridor do DMAE, poderoso agente antiflacidez) e passou a ser procurado por homens e mulheres que, além de perder peso, desejam manter uma aparência jovem e vigorosa por mais tempo.


Propriedades do Kefir
Pesquisas modernas indicam que o kefir pode estimular o sistema imunológico, melhorar a digestão da lactose (açúcar do leite) e inibir a ação de agentes patógenos - entre os quais a bactéria Helicobacter pylori, que causa a maioria das úlceras. Do mesmo modo, não é raro os médicos da Rússia e da Ásia Central prescreverem kefir contra vários problemas, entre os quais colesterol alto, alergias, síndrome plurimetabólica, tuberculose, câncer e distúrbios gastrointestinais.

Ele também tem uma forte ação enzimática contra o excesso de peso, pois facilita a assimilação de nutrientes pelo organismo, promove um equilíbrio interno e provoca uma sensação agradável de saciedade, que reduz o hábito de comer por compulsão, depressão ou mesmo ansiedade.
Assim, pode ser utilizado entre uma refeição e outra. “O kefir é um tipo de fermentado produzido pela combinação de leite com uma mistura de fungos benignos e culturas bacterianas de lactobacilos. As culturas liberam uma pequena quantidade de dióxido de carbono, álcool e compostos aromáticos que lhe conferem um sabor ligeiramente efervescente e picante. Ele é rico em vitamina B12, B1 e K, cálcio, fósforo, ácido fólico, magnésio, entre outros nutrientes”, conta a nutricionista Marina Rios Foz, do Amarynthe Spa, em São Paulo, que segue os preceitos do Dr. Perricone no Brasil.

Além das culturas benéficas e probióticas de bactérias vivas, o kefir comercializado contém, em geral, adição de insulina ou frutoligossacarídeos, tipo de carboidratos de cadeia longa, nos quais as bactérias benéficas proliferam. O kefir contém carboidratos especiais (polissacarídeos), chamados kefiran, cujos efeitos fisiológicos explicam alguns dos generosos benefícios que o kefir traz à saúde”, diz Marina Foz.
O único problema é que esta bebida não é facilmente encontrada no Brasil. “Há algumas lojas de produtos naturais e grandes redes de supermercados que oferecem o produto. Normalmente, no caso dos grãos para o preparo da bebida, eles são doados e cultivados em casa e podem durar por muito tempo, se cuidados corretamente”, avisa a nutricionista.

O que são Alimentos Probióticos?
Kefir se encaixa no grupo dos alimentos probióticos, que são considerados alimentos funcionais, contêm microorganismos que, quando ingeridos, exercem efeitos benéficos para a saúde. Os probióticos aumentam, de maneira significativa, o valor nutritivo e terapêutico dos alimentos porque elevam os níveis de vitaminas do complexo B e dos aminoácidos. Essa absorção é acrescida de cálcio e ferro.

Como consumir o Kefir
Para produzir o kefir, são necessários apenas grãos e leite ou água (podem ser utilizados água e açúcar). Veja como fazer no site Kefir. Depois, é só ingerir a bebida na sua dieta, pura ou adicionada a frutas, sementes etc. Não há nenhuma restrição ao seu consumo, pois ele é digestivo e não causa intolerância nem efeitos colaterais.

Caso encontre o kefir pronto para consumo, dispense os que contêm açúcar. Prefira o produto ao natural e prepare-o com frutas vermelhas ou outra espécie rica em fibras de baixo índice glicêmico. É possível temperá-lo também com um pouco de suco de açaí, que é altamente antioxidante, suco de romã ou uma dose de bebida verde, feita com grãos de trigo, cevada ou verduras tenras. Depois, é só beber e se beneficiar.


Kefir Não Lácteo e Kefir de Água

Grãos de kefir de leite podem ser cultivados em meios alternativos, como por exemplo, leite de soja, leite de castanhas e nozes ou leite de coco. A cultura mãe natural pode também ser usada para preparar alguns produtos interessantes, muitos deles estarãodescritos ao longo deste site.Há uma variedade bem conhecida, denominada Kefir d'acqua ou kefir de água
. Trata-se deuma bebida efervescente, preparada geralmente com uma variedade específica de grãos de kefir, conhecidos como grãos de kefir de água
 . Os grãos são cultivados em uma solução da água com açúcar de 5 a 10% com fatias da limão. Algumas receitas incluem a adição de frutas secas tais como o figo,damasco ou passas, que realça mais o sabor e aumenta os nutrientes. Os grãos do kefir deaçúcar são massas mucilaginosas transparentes pequenas, que consistem em polissacarídeos(dextrans) com cadeias compostas apenas de glucose . Os dextrans são produzidos comos esforços simbióticos compartilhados entre as bactérias do ácido lático e os fermentos damatriz. O Kefir d'acqua pode originalmente ter sido cultivado com grãos tradicionais dokefir do Cáucaso, mas isto é discutível. Se este for o caso, então os últimos grãos podemter-se adaptado ou ter evoluído por muitos anos para fermentar em um meio de água comaçúcar, através do qual pode ter ocorrido uma transformação na composição dos grãos. Oscientistas foram surpreendidos pela habilidade de fermentar um meio tão pobre emnitrogênio e na fonte de fator de crescimento e em fazer isto durante anos anos semmodificar o equilíbrio entre os microorganismos diferentes . Os grãos de kefir de águatradicionais têm uma textura e cor única em comparação aos grãos do kefir de leitetradicional do Cáucaso. Os grãos transparentes são frágeis e rompem-se facilmente.

Em um nível físico, os grãos de kefir deágua tradicionais são mais densos do que Grãos de Kefir de leite tradicionais do Cáucaso, pois estes têm uma propriedade elástica que falta naqueles. Os anteriores sãocompletamente delicados tendo uma tendência a lascar-se ou cortar facilmente comqualquer aresta. Estes grânulos, saltam quando deixados cair em uma superfície sólida, oque não acontece com os grãos de kefir de leite, devido à sua propriedade gelatinosa. As propriedades originais dos Grãos de kefir de Água são provavelmente conseqüentes do fatode eles estarem sujeitos continuamente a moderada pressão (gás do CO2) produzida pelocultivo em recipientes hermeticamente fechados. Excluindo L. Casei, que se acredita ser responsável pela condensação do polissacarídeo em uma forma não solúvel (os dextrans ligados, ou encadeados compostos somente de glucose), o fator da compressão podetambém ter um papel importante na sua composição física.


Adaptando grãos de kefir de leite a um meio de água com açúcar mascavo

A adaptação dos grãos do kefir de leite para água é possível e produz um kefir com qualidades similares às do kefir de leite. É possível ainda substituir ou misturar ao açúcar mascavo, adoçantes alternativos como a maltose e o mel. As frutas secas ou as frutas frescas ou seus sucos também podem ser usados. O uso de ervas frescas ou secas ou de chás de ervas também podem ser incluídos como parte dos ingredientes (veja por favor Kefir de erva médica para detalhes e receitas). Após ter adaptado grãos de kefir de leite para a água, há uma fase de adaptação inicial de aproximadamente 3 a 4 dias (não se evidencia muita atividade durante este tempo enquanto os fermentos engordam). Depois da preparação do terceiro ou quarto lotes, são necessárias 48 horas para cultivar o kefir de água.

Quando os grãos de Kefir de leite, tradicionais são transferidos para a água, após algumas semanas de lotes consecutivos de 48 horas, os grãos não podem mais retornar com sucesso ao grão de kefir apropriado ao preparo de Kefir de leite. Os grãos, muito provavelmente, pararão de crescer. Isto provavelmente acontece devido a um componente bacteriano faltante tal como os Lb.kefiranofaciens encapsulados. Este componente importante é provávelmente danificado no cultivo continuado dos grãos em água com açúcar mascavo. Por outro lado, após aproximadamente dois meses cultivando com creme de leite fresco cru, os grãos produziram uma forma de kefir de leitecom uma textura e um sabor razoáveis, mas sem a viscosidade, muito provavelmente devido ao fato dos grãos permanecerem não-propagáveis durante todo o processo. Estes grãos específicos do kefir foram cultivados previamente em um meio de água/maltose/sucrose + figos secos por aproximadamente 4 meses e posteriormente adaptados novamente ao leite, para executar a experiência.

Conheça o processo de adaptação dos grãos de kefir de leite para a água.


O índice de álcool do kefir da água versus o kefir de leite

Após 48 horas de fermentação, os grãos de kefir de água produzem aproximadamente 0.9% de álcool enquanto o kefir fermentado pelo mesmo período com grãos recém transferidos do leite, produziu 1,9 %. Provavelmente porque, devido ao aumento da biomassa, nesse caso, 122% de aumento de peso dos grãos de kefir de água após um período de 48 horas, uma proporção do açúcar mascavo na solução foi utilizada por micróbios específicos para sintetizar a matriz baseada em dextran da glucose, em que os grãos consistem. Na comparação, os grãos baseados em leite recém transferidos não aumentaram sua biomassa, fornecendo uma parcela maior de glucose disponível para os fermentos converterem em uma porcentagem maior de álcool.

Os grãos de kefir de água apresentam uma grande flutuação em suas taxas de crescimento. O aumento pode variar entre 10% e 160% em 48 horas, mesmo quando cultivado usando a mesma porcentagem de açúcar mascavo e água na solução (cultivada em temperatura ambiente). Por outro lado, os grãos de kefir de leite, aumentam à uma taxa constante razoável.


Estas receitas podem ser todas adaptadas com leites vegetais:
Queijo de kefir
Receitas com Kefir1
Receitas com Kefir 2
Receitas com kefir 3
Diferenças Entre Kefir de água e de Leite



publicado por Maluvfx às 08:39
link do post | comentar | favorito
 O que é? |

Terça-feira, 6 de Julho de 2010
Dieta das cores
Com o verão batendo á porta vejam como ficar em forma com muita saúde e disposição com a dieta das cores.


Pesquisas realizadas dividem frutas, verduras, legumes e cereais por cores e mostram que, em cada refeição, o ideal é ingerir uma porção de cada um dos diferentes grupos para fazer bem ao corpo.
"Prestar atenção nas cores é uma maneira bastante simples de controlar o consumo de nutrientes. O correto é incluir seis tons diferentes a cada refeição", explica a nutricionista Juliet Marzalek, especialista em nutrição clínica.
Um estudo realizado pela Universidade de Cornell, nos Estados Unidos, demonstrou que pessoas que comiam alimentos de cor amarela e verde sofriam menos riscos de ter tumores.
Na Itália, cerca de seis mil pacientes que passaram a ingerir alimentos alaranjados tiveram a incidência de câncer no intestino diminuída em 50%. Apesar de hortaliças e frutas serem essenciais, as proteínas de origem animal ou vegetal não devem ser esquecidas.
Os chamados alimentos plásticos formam ossos e músculos e auxiliam a renovação celular.

Conheça aqui, quais são os grupos de cores e seus benefícios para o organismo:

Marrom
Castanhas, nozes e cereais integrais: ricos em vitamina E, substância que prolonga a juventude.
"Esse grupo deve ser ingerido com cautela, pois tem altos valores calóricos: 10 gramas de castanhas têm 60 calorias. O ideal é consumir 1 colher de sopa por dia", alerta Juliet.

Azul
Repolho roxo, beterraba, figo e ameixa: são alimentos cheios de anticianina, um pigmento que protege o coração e melhora a circulação.

Branco
Banana, cogumelos, batata, cebola e alho: alimentos de cor clara previnem contra tumores intestinais.

Vermelho
Melancia, caqui, morango e tomate: carregados de um pigmento chamado licopeno, antioxidante natural que protege contra as substâncias químicas agressivas às células.

Laranja
Mamão, abacaxi, manga, cenoura e milho: são ricos em betacaroteno, que se transforma em vitamina A no organismo, boa para olhos e tecidos, e que ainda atua fortalecendo o sistema imunológico.

Verde
Brócolis, espinafre e outras folhas: são ricos em vitaminas e outras substâncias, como ácido fólico, um nutriente capaz de afastar males como o infarto e câncer.
Além de ter grande quantidade de clorofila, que funciona como desintoxicante, fazendo uma limpeza natural no organismo.

Para melhor aproveitar essa dieta consulte um médico e ou nutricionista para adequá-la ao seu organismo e estilo de vida.

Fonte de referência: Yahoo Beleza e Saúde






Verde, laranjaroxovermelho e branco.
 Misture essas cores incluindo vegetais e frutas em sua dieta e viva melhor. É o que propõe a dieta das cores: 

A dieta conscientiza as pessoas a comerem pelo menos cinco frutas e vegetais por dia. Esses alimentos
 ajudam na prevenção do câncer e de doenças crônicas", explica a nutricionista Anna Macknight. Nos Estados Unidos, a dieta é chamada de 5-a-day e aqui no Brasil ela também é conhecida como "5 ao dia". Segundo o Instituto Americano de Pesquisa em Câncer, 30 a 40% dos casos de câncer podem ser prevenidos com uma dieta saudável, na qual 60% das calorias diárias sejam provenientes de alimentos de origem vegetal. Entre outras vantagens da dieta colorida, está a diminuição do risco de doenças cardiovasculares. 

A proposta é dividir as frutas e verduras em cinco grupos, usando cores para diferenciar cada categoria.

Escolhendo alimentos de todos os grupos ao longo dos dias, você garante uma maior variedade de nutrientes na dieta.
"Frutas e verduras contêm muitas vitaminas, minerais, fibras e outras substâncias que ajudam na manutenção da saúde", diz Anna Macknight.
Temos em nossa região , maravilhosas frutas ...abacaxi, melancia, tangerina, banana,caju,todas de hortas de pequenos agricultores que vendem em nossa feira livre e o que é melhor , SEM AGROTÓXICOS!



"Não há necessidade de consultar um nutricionista apenas para incluir mais frutas e verduras na dieta. 
Um nutricionista pode ser consultado se existirem mais dúvidas sobre a alimentação ou para controlar problemas específicos de saúde".


publicado por Maluvfx às 04:52
link do post | comentar | favorito
 O que é? |

Sábado, 26 de Junho de 2010
Como incluir alimentos funcionais na dieta Vegetariana
Incluir alimentos ricos em antioxidantes no dia a dia não é uma tarefa difícil. Ela contém frutas e seus sucos, verduras, cereais integrais (ex. arroz, aveia, trigo, cevada), feijões (ex. feijão, soja lentilha, grão de bico, ervilha) castanhas, sementes e muitas cores. 
Veja algumas dicas de como combater os radicais livres e ter ainda mais saúde e qualidade de vida!

A Linhaça é rica em fibras e ômega 3, que auxiliam na redução do colesterol e triglicérides, aumentam o funcionamento intestinal, reduz as inflamações e protegem o coração. Consuma diariamente uma colher de sopa na vitamina, salada ou sobre a fruta.
O resveratrol presente no suco de uva vermelha é um potente antioxidante e protetor do coração, inclua um copo de (200ml) ao dia. Use um suco de boa qualidade sem açúcar.

A Soja além de rica em proteína e minerais ela ajuda no controle do colesterol, ameniza os incômodos da menopausa. Faça o uso de soja pelo menos 4 vezes na semana, na forma de hambúrgueres, almôndegas, tofu grelhado, etc. Seu uso deve ser de apenas uma vez por semana para aqueles que tem alguma disfunção com a tireóide.

O selênio é um mineral encontrado abundantemente na Castanha do Pará, consuma uma unidade por dia, para ter as necessidades deste potente antioxidante.
As fibras presentes nos cereais integrais auxiliam na prisão de ventre, controle do colesterol, aumentam a saciedade e são ricas em vitaminas do complexo B. Pelo menos metade dos cereais que consumir faça uso dos integrais. 

Algumas dicas:
· Para cada xícara de arroz adicione quatro colheres de sopa de quinua (cozinham juntas),
· Faça uso do macarrão e do pão integral,
· Adicione farinhas integrais nas suas preparações (bolos, tortas, panquecas),
· Algumas empresas produzem um tipo de “Arroz” adicionado de outros cereais (geralmente são conhecidos como 7cereais).

Tenha uma refeição rica em CORES, pois cada uma dela representa um pigmento (licopeno, clorofila, antocianina, beta caroteno, etc) que auxiliam o corpo na prevenção de doenças.
 Além de aumentar as chances de ter uma dieta equilibrada.


Camelia sinensis popularmente conhecida como Chá verde é uma bebida rica em bioflavonóides e catequinas, substancias que combatem os radicais livres, auxiliam no controle de peso e também diminui os níveis de colesterol. Recomenda-se tomar de 1 a 4 xícaras por dia.


Uma sugestão para o lanche da tarde é o suco verde, rico em ferro, cálcio, vitaminas e antioxidantes. Ele é feito com: uma fruta cítrica (limão, maracujá, laranja, abacaxi) + 2 folhas de couve manteiga + ½ un. de maça + 3 folhas de hortelã. Bata tudo no liquidificador e sirva gelado.

Fonte: Nutrição Vegetariana


publicado por Maluvfx às 08:12
link do post | comentar | favorito
 O que é? |

Quinta-feira, 17 de Junho de 2010
Alimentos Funcionais e Coloridos!
Diversas práticas alimentares milenares provenientes do Oriente, especialmente do Japão e da China, deram origem ao conceito de alimentos funcionais, aos quais são atribuídos propriedades benéficas à saúde, atuando na prevenção e na terapia de diversas Doenças Crônicas não transmissíveis.
Pode-se considerar Alimento Funcional todo aquele que apresenta uma ou mais substâncias com funções fisiológicas e bioquímicas benéficas à saúde do homem.
Há um grupo de alimentos funcionais determinados pela Associação Dietética Americana, no qual podemos destacar :


  • Alimento Funcional: qualquer alimento ou ingrediente modificado que possa propiciar um efeito benéfico além daquele provido por nutrientes tradicionais que ele contém;


  • Fitoquímicos: substâncias encontradas em frutas e vegetais comestíveis que podem ser ingeridas diariamente pelo homem e que exibem potencial para modular o metabolismo humano de modo favorável à prevenção do câncer e outras doenças crônicas;


  • Nutracêutico: qualquer substância que possa ser considerada um alimento ou parte deste e que ofereça benefícios médicos ou de saúde, incluindo a prevenção e o tratamento de doenças.


No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA- afirma, sobre alimentos funcionais, que “o alimento ou ingrediente que alegar propriedades funcionais ou de saúde pode, além de funções nutricionais básicas, quando se tratar de nutriente, produzir efeitos metabólicos e ou fisiológicos e ou benéficos à saúde, devendo ser seguro para consumo sem supervisão médica”.
A seguir temos algumas alegações de propriedades funcionais e de saúde aprovadas pela ANVISA.


  • Ácidos graxos ômega 3: o consumo de ácidos graxos ômega 3 auxilia na manutenção de níveis saudáveis de triglicerídeos, desde que associado a uma dieta equilibrada e hábitos de vida saudáveis.


  • Licopeno: possui ação antioxidante que protege as células contra os radicais livres.


  • Fitoesteróis: auxiliam na redução da absorção de colesterol.


  • Luteína: possui ação antioxidante que protege as células contra os radicais livres.


  • Fibras Alimentares: auxiliam o funcionamento do intestino.


  • Psyllium: uma fibra alimentar que auxilia na redução da absorção de gordura.


  • Quitosana: auxilia na redução da absorção de gordura e colesterol.


  • Probióticos: contribui para o equilíbrio da flora intestinal. Seu consumo deve ser associado a uma dieta equilibrada e hábitos de vida saudáveis.


  • Proteína de Soja: o consumo diário de, no mínimo, 25g de proteína de soja pode ajudar a reduzir o colesterol e auxilia na redução dos calores da menopausa.


  • Frutooligossacarídeos: os frutooligossacarídeos (FOS) contribuem para o equilíbrio da flora intestinal.
Mas é claro que nada adianta consumir alimentos funcionais se seu consumo não estiver associado a uma dieta equilibrada e hábitos de vida saudáveis.
Fonte


SAÚDE À MESA

Não é novidade que a natureza traz uma série de alimentos com poderes terapêuticos. Pesquisas mundiais já comprovaram que o ômega 3 presente nos peixes reduz o nível de colesterol no sangue, que a soja atenua os sintomas da menopausa, que o tomate ajuda na prevenção do câncer de próstata e que o abacate protege o corpo dos radicais livres. Sabe-se, portanto, que muita coisa que a gente ingere, além de nutrir o corpo, conta com componentes bioativos que produzem efeitos metabólicos ou fisiolóicos benéficos ao organismo humano. A diferença é que agora eles são apresentados com a classificação de "funcionais".
"Deu-se nome aos bois", resume a nutricionista clínica funcional Denise Madi Carreiro, de São Paulo. De acordo com ela, nos últimos anos, fala-se tanto sobre esse assunto graças à descoberta das substâncias que tornam determinados alimentos boas fontes para diminuir o risco de doenças. Carotenóides (presentes no pimentão ou na laranja), limonóides (encontráveis nas cascas das frutas cítricas), fenóis (que estão nos vegetais de cores roxa, azul ou violeta) ou flavonóides (cuja soja é a grande representante) são alguns dos componentes ativos capazes de prevenir ou reduzir males que vão da constipação intestinal à osteoporose, arteriosclerose e até mesmo certos tipos de câncer.

VOCÊ É O QUE VOCÊ COME
Todo alimento natural (ou seja, não-processado industrialmente) pode ser classificado como "funcional", já que contêm, em doses variadas, vitaminas, minerais, enzimas ou fibras essenciais para a saúde. "No entanto, são apenas alguns alimentos que trazem essa capacidade protetora do organismo", salienta a nutricionista clínica Carina Pioli, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, localizado na capital paulista.
Segundo a médica, é importante notar que não basta simplesmente devorar doses cavalares dos alimentos com reconhecimento medicamentoso. Isso porque nem sempre as proteínas de tudo que se ingere são absorvidas pelas células. Cada pessoa tem uma resposta bioquímica ao que consome, por isso, suas necessidades são particulares.
Em alguns casos, quando o organismo encontra dificuldade em reconhecer as substâncias que poderiam fortalecê-lo, podem ocorrer reações inflamatórias que contribuem para o desenvolvimento de males como rinite, otite, bronquite, gastrite e até celulite, ou ainda inchaços, dor de cabeça, ansiedade, falta de concentração, alterações de humor e obesidade. "Somos reflexo do que ingerimos para abastecer nossas células", pontua Denise Carreiro. Dados da OMC (Organização Mundial da Saúde) apontam que 80% das mortes por doenças crônicas não-trasmissíveis tiveram relação com a alimentação incorreta.

Saiba mais sobre a atuação dos principais alimentos funcionais no organismo:

Abacate (betasistosterol): Rico em vitaminas E e C, potentes antioxidantes, promove a saúde dos dentes e das gengivas e protege os tecidos do corpo dos radicais livres. Seus fitonutrientes reduzem o colesterol sangüíneo;



Alho e cebola (alicina e compostos derivados): Estudos apontam que muitos compostos desses alimentos exercerem atividades anticancerígenas e antiaterogênicas. Eles ainda estimulam a função imunológica e favorecem a redução do colesterol "ruim";



Chá verde (compostos fenólicos): tem ação antioxidante que reduz o risco de câncer (particularmente o câncer de estômago) e de doenças cardíacas, impedindo a formação e desenvolvimento de tumores. Melhora ainda a produção de suco gástrico e, por isso, diminui a gordura abdominal;



Couves, brócolis, repolho e nabo, entre outros vegetais crucíferos (glicosinolatos)
: previnem câncer e doenças cardiovasculares por sua ação antioxidante nas células. Todos são ricos em fibras que ajudam no bom funcionamento do intestino;



Aveia, trigo e arroz integral, entre outras fibras (glucanas): resistentes à hidrólise (as fibras não são quebradas pelas enzimas do tubo digestivo), promovem a sensação de saciedade precoce e retardam a absorção de carboidratos, açúcar e gordura. Também reduzem o risco de câncer, particularmente aqueles do trato alimentar, tais como câncer coloretal e gástrico;

Leites fermentados (probióticos): previnem o câncer intestinal e de colorretal e participam do controle da glicemia. Esses microorganismos colaboram com o funcionamento e o equilíbrio dos organismos benéficos da flora intestinal;



Azeites (ômega 3): reduzem os níveis de colesterol sangüíneo e o risco de doenças cardiovasculares. Sabe-se hoje que a maior parte das doenças crônicas não-transmissíveis podem ser evitadas com o ômega 3;




Pimenta (capsaicinóides): São boas fontes de antioxidantes e, segundo estudos, podem atuar como anticoagulante, prevenindo a formação de coágulos que causam ataques cardíacos ou até derrames cerebrais;

Soja e derivados (isoflavona): reduzem a freqüência e intensidade dos sintomas da menopausa, previnem osteoporose, protegem contra o câncer (principalmente o de mama e o de próstata) e doenças cardíacas, e diminuem o colesterol "ruim" pela ação antioxidante da isoflavona, que também combate os radicais livres;


Tomate vermelho, amora e goiaba vermelha (carotenóide licopeno): protegem contra o câncer de próstata e contra doenças cardiovasculares (o tomate na forma de molho tem ainda mais concentração de seu componente ativo) e neutraliza os radicais livres.

Por isso, o ideal, garantem as nutricionistas, é investir na velha receita: dieta variada, moderada e equilibrada. Em outras palavras, é necessário combinar um cardápio que ofereça todos os nutrientes essenciais e, ao mesmo tempo, contribua para a manutenção do peso ideal do corpo. Quem tem como objetivo perder alguns quilos, por exemplo, deve optar pelo consumo máximo de vegetais (5 porções) e frutas (4 porções), que apresentam baixas calorias, e o mínimo de porções dos grupos de carboidratos complexos (6 porções) e proteínas (2 porções de laticínios ou  leguminosas), que tendem a ter mais calorias.

Enlatados
O problema é que a sociedade industrial e a vida nos grandes centros urbanos têm criado gerações de pessoas sedentárias, estressadas e com péssimos hábitos alimentares. É para elas que a mercado não pára de criar uma infinidade de produtos industrializados que se apresentam como "funcionais" e pretendem suprir as deficiências nutricionais, além de evitar o risco de doenças. Leite longa vida acrescido de ômega 3, farinhas com fibras, vinagre com acerola, além de fórmulas à base de proteína de soja com dosagens de isoflavonas estão entre os alimentos "enriquecidos".
Desde 99, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde) aprovou a regulamentação desses alimentos e ingredientes. Entre os recentemente estudados, estão os prebióticos e os probióticos. Os primeiros são alguns tipos de fibras alimentares, cuja configuração molecular os torna resistentes à ação de enzimas e, assim, não são digeríveis pelo organismo. Com isso, facilitam o trânsito intestinal e reduzem desconfortos e até mesmo doenças. Já os probióticos são microorganismos adicionados a certos alimentos - leites e iogurtes, especialmente -, que reforçam a ação das bactérias benéficas e diminuem a ação das patogênicas.
Ainda assim, é preciso levar em consideração que nem sempre alguns desses alimentos industrializados trazem concentrações suficientes dos componentes funcionais. As médicas consultadas para a reportagem reforçam que o consumo desses produtos (que têm custo mais elevado), com a finalidade diminuir as chances de desenvolver doenças, precisa estar associado a uma alimentação que também conte com produtos naturais, além da prática de alguma atividade física. Com tudo isso, fica fácil imaginar como o que se põe à mesa exerce papel fundamental no retardo do processo de envelhecimento.






Alimentos funcionais são aqueles alimentos ou ingredientes que, além das funções nutricionais básicas, quando consumidos como parte da dieta usual, produzem efeitos metabólicos, fisiológicos e/ou benéficos à saúde. Eles devem ser seguros para consumo sem supervisão médica. E sua eficácia e segurança devem ser asseguradas por estudos científicos.
Importância para a saúde
Atualmente, enfrenta-se um avanço das doenças crônicas degenerativas por conta de um estilo de vida desequilibrado que envolve maus hábitos alimentares e sedentarismo. O consumo regular dos alimentos funcionais pode ser uma alternativa para ajudar a conter o avanço dessas doenças.
Alimentos funcionais não curam doenças, ao contrário dos remédios. Por possuírem certos componentes ativos, eles são capazes de prevenir ou reduzir o risco de determinadas doenças. Na sua forma natural, ou seja, como alimento, não apresentam contra-indicações e podem ser consumidos com tranqüilidade, sem prescrição médica. Sua ação vem sendo investigada sobre as doenças cardiovasculares, inflamatórias e intestinais, câncer, hipertensão, diabetes, certas afecções reumáticas e Mal de Alzheimer, entre outras.

Segue abaixo alguns Alimentos Funcionais e suas Propriedades:

AVEIA
Ajuda a diminuir o colesterol “ruim”, o LDL.. Ajuda a melhorar a prisão de ventre - fator de risco para o câncer de intestino.
Quantidade recomendada:
3 colheres de sopa por dia de farelo de aveia;4 colheres de sopa de aveia.

ALHO
Reduz a pressão arterial;. Protege o coração ao diminuir a taxa de colesterol ruim;. Aumenta os níveis do colesterol bom, o HDL;. Pesquisas indicam que pode ajudar na prevenção de tumores malignos;
Quantidade recomendada:
um dente por dia (para diminuir o colesterol e a pressão arterial).

AZEITE
Auxilia na redução do LDL – “Colesterol ruim”;. Sua ingestão no lugar de margarina ou manteiga pode reduzir em até 40% o risco de doenças do coração;. Substitua a manteiga e margarina pelo azeite de oliva, procure o extra virgem, primeira prensagem a frio. Use-o com: pão, biscoito, inhame, aipim, cuscuz, saladas, sopas, etc;
Quantidade recomendada: uma colher de sopa

CASTANHA-DO-PARÁ
Assim como noz, pistache e amêndoa, auxilia na prevenção de problemas cardíacos.. Rica em Selênio – mineral presente em mais de 300 enzimas do organismo.
Quantidade recomendada: 1 unidade por dia

CHÁ VERDE
Auxilia na prevenção de tumores malignos além de retardar o envelhecimento..Estudos indicam ainda que pode diminuir as doenças do coração, prevenir pedras nos rins e auxiliar no tratamento da obesidade.
Quantidade recomendada: De 4 a 6 xícaras por dia(para reduzir os riscos de gastrite e câncer de esôfago).

TOMATE
Auxilia na prevenção do câncer de próstata;
Quantidade recomendada: uma colher e meia (sopa) de molho de tomate por dia.Outros alimentos fontes de licopeno: Melancia, Goiaba, Mamão, Caqui

UVA VERMELHA
Substância: RESVERATROL - presente no vinho tinto seco ou no suco de uva vermelha;. Ajuda a aumentar o colesterol bom;. Evita o acúmulo de gordura nas artérias,prevenindo doenças do coração;
Quantidade recomendada : dois copos de suco de uva ou uma taça de vinho tinto SECO por dia.

[tab_cor-ali.gif]




SIGNIFICADO DAS CORES DOS ALIMENTOS
As cores dos alimentos são determinadas pela presença dos pigmentos. Estas substâncias, além de colorir desempenham, frequentemente, papéis importantes na prevenção e na proteção do organismo contra doenças infecciosas.
Uma dieta colorida tem mais chances de ser mais saudável. Veja a seguir o que está por trás das cores dos alimentos.

Alimentos Brancos
Os alimentos de cores brancas como o leite, queijo, couve-flor, batata, arroz, cogumelo e banana são as melhores fontes de cálcio e de potássio. Estes minerais são importantes para o funcionamento do organismo, porque:
1. Contribuem na formação e manutenção dos ossos.
2. Ajudam na regulação dos batimentos cardíacos.
3. São fundamentais para funcionamento do sistema nervoso e dos músculos.

Alimentos Vermelhos
O licopeno é uma substância que age como antioxidante e é responsável pela cor vermelha do morango, tomate, melancia, caqui, goiaba vermelha, framboesa, cereja.
Mais recentemente foi apontado como um protetor eficaz contra o aparecimento de câncer de próstata. Os alimentos vermelhos contêm, ainda, antocianina que estimula a circulação sangüínea.

Alimentos Amarelos
O mamão, a cenoura, a manga, a laranja, a abóbora, o pêssego e o damasco são alimentos de cores amarela ou alaranjada que são ricos em vitamina B-3 e ácido clorogênico.
São substâncias que mantêm o sistema nervoso saudável e ajudam a prevenir o câncer de mama.
Para completar, eles também possuem beta-caroteno, um antioxidante que ajuda a proteger o coração.

Alimentos Arroxeados
Os alimentos azulados e arroxeados, como a uva, a ameixa, o figo, a beterraba ou repolho-roxo contêm ácido elágico, substância que:
1. Retarda o envelhecimento.
2. Neutraliza as substâncias cancerígenas antes mesmo delas alterarem o código genético

Alimentos Verdes
Os alimentos de cor verde como os vegetais folhosos, o pimentão, o salsão e as ervas contêm clorofila e vitamina A, substâncias com os seguintes efeitos:
1. Desintoxicam as células.
2. Inibem os radicais livres — substâncias que danificam as células e causam doenças com o passar do tempo.
3. Tem efeito anticancerígeno e ajudam a proteger o coração.
4. Protegem o cabelo e a pele.

Alimentos Marrons
As fibras e vitaminas do complexo B e E são, principalmente, encontradas nas nozes, aveia, castanhas e cereais integrais, que por sua vez tem uma cor marrom.
Tais substâncias e nutrientes têm importâncias vitais no organismo:
1. Melhoram o funcionamento do intestino.
2. Combatem a ansiedade e a depressão.
3. Previnem o câncer e as doenças cardiovasculares.

Vitaminas e sais minerais


publicado por Maluvfx às 10:03
link do post | comentar | favorito
 O que é? |


mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
14
16
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


posts recentes

Nutrientes numa Dieta Veg...

Licopeno

Os benefícios da Semente ...

Alimentos que não podem f...

Alimentos funcionais e se...

Alimentos funcionais

Tudo ou quase tudo sobre ...

Dieta das cores

Como incluir alimentos fu...

Alimentos Funcionais e Co...

arquivos

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Setembro 2008

Agosto 2008

Junho 2008

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Maio 2006

Dezembro 2005

Outubro 2003

Julho 2002

tags

todas as tags

favoritos

ANTI-TOURADAS

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds