Ética é o conjunto de valores, ou padrões, a partir dos quais uma pessoa entende o que seja certo ou errado e toma decisões. A ética é importante por que respeita os outros e a dignidade humana.

Domingo, 7 de Março de 2010
Segunda sem Carne



A campanha Segunda sem Carne objetiva incentivar as pessoas a deixar de consumir carne, ao menos, uma vez por semana, tendo assim benefícios para sua saúde e a saúde do planeta. Ao diminuir o consumo de carne reduzimos, ao mesmo tempo, o desperdício de água, o desmatamento, a desertificação, a extinção de espécies, a destruição de habitats e até de biomas inteiros. De quebra, ainda ajudamos a diminuir o rebanho bovino e sua emissão de metano – poderoso agente de efeito estufa.

67% dos animais criados para virar comida são criados em granjas “industriais”. Granjas industriais são fontes de crueldade e desperdício em escalas inimagináveis para a maioria de nós. Nelas são criados animais que ganham peso rapidamente por meio de uma alimentação não-saudável com alto teor protéico. Os animais vivem amontoados, estressados e, muitas vezes, em condições higiênicas insalubres.
A Campanha é também um convite a repensar nossa alimentação cotidiana, muitas vezes pobre em nutrientes pelo simples desconhecimento da variedade de hortaliças e verduras disponíveis. O consumo de comidas prontas, fast food ou similares, facilitou a vida altamente urbanizada dos grandes centros, diminuindo o tempo gasto com a alimentação. Mas o preço é alto e se reflete em nossa saúde e também nas experiências de sabor que perdemos.







Motivando mudanças pela música





Você tem talento musical? Então pode escrever uma canção falando das razões de ser vegetariano ou vegano? Se tiver talento…
O Sir Paul McCartney está pedindo canções para promover a ideia da “Segunda-feira sem carne” por todo o mundo. Veja:




Pode ser que a música possa motivar as pessoas a mudar o hábito de consumir carne? Segundo essa campanha, o objetivo é motivar as pessoas que nem pensam em ser vegetarianos a desistirem da carne durante um dia na semana.
Pois bem, se sete pessoas não consomem carne, vai ser como se, no lugar dessas pessoas que aderiram à campanha, existisse uma pessoa totalmente vegetariana, não é? Mas o ideal seria que uma pessoa banisse completamente o consumo da carne, então… devemos apoiar essa campanha de ter mais pessoas  desistindo da carne só por um dia da semana?
Na minha opinião, a resposta é “sim” porque, se uma pessoa desiste um dia, vai começar a mudar um hábito e vai saber que é possível sobreviver sem carne. E também, se a pessoa decidir fazer uma mudança porque está ampliando a visão e a consciência, pode ser que ela esteja dando os primeiros passos a caminho do vegetariansimo total.
Para algumas pessoas, a ideia de desistir da carne completamente parece impossível e inatingível, e elas precisam saber que pouco é melhor que nada. Para outras pessoas, a decisão de não consumir carne acontece em um passo só: é quando são motivadas a parar completamente o consumo de carne. Um dia, comem carne, leem ou veem alguma materia e, depois, tomam a decisão de parar de consumir carne naquele mesmo dia.
Com a maioria das pessoas com quem eu tenho falado, o caminho para o vegetarianismo acontece pouco a pouco, começando a eliminar a carne de um animal, depois de outro, normalmente porque elas obtêm informações e aprendem mais sobre o assunto e, assim, decidem também desistir de outro animal no prato.
Gostaria que esse processo fosse imediato, que eu pudesse dizer que fiquei vegana em um dia só, mas a verdade é que parei de consumir porcos no sétimo passo porque havia lido sobre vermes; depois decidi parar de comer “carne vermelha” de vacas por causa de razões de saúde; depois frangos porque vi um programa na televisão sobre a maneira como eles os matam e também sobre a contaminação. Quanto mais eu compreendia, menos eu consumia produtos animais, até que decidi ser completamente vegana.
Com essa campanha “Segunda-feira sem carne”, as pessoas podem participar de um novo movimento que se propaga pelo globo. A estratégia é usar a criatividade para motivar as pessoas a se unirem para uma meta boa e universal.
Historicamente, a música tem sido uma ferramenta forte para conscientizar as pessoas. Tem canções que falam de possibilidades, mudanças, metas universais, um mundo melhor, revolução; e agora, teremos também músicas que falam sobre como podemos salvar os animais, nós mesmos e o planeta, por meio de uma dieta sem carne!
Sei que com essa música, todos os nossos corações vão querer dançar!! Conheçam algumas canções:





Fonte: ANDA


publicado por Maluvfx às 15:56
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 2 de Fevereiro de 2010
Paul McCartney escreve em site de Gwyneth Paltrow sobre ser vegetariano


A atriz tem um website onde conta sua rotina de alimentação sem carne.

Reuters/Agência




Paul McCartney em foto de arquivo

Paul McCartney atendeu a um pedido de Gwyneth Paltrow e escreveu um artigo para o website da atriz falando sobre ser vegetariano. A atriz teria ligado para sua amiga, e Stella MacCartney, filha de Paul, e pedido para que ele falasse sobre os benefícios da vida sem carne.

Gwyneth usa seu site para contar sobre sua dieta e sua rotina como vegetarina. Paul, que já tem uma campanha para incentivar outras pessoas a viraraRem vegetarianos contou que o ideal é começar tentando comer carne só uma vez na semana. "É um desafio divertido", disse o ex-Beatle.



Fonte




Meat Free Monday



Supporters of the campaign at the Meat Free Monday launch.
From left to right: David de Rothschild, Lauren Laverne, Sophie Ellis Bextor, Richard Jones, Moby, Kelly Osborne, Stella McCartney, Yoko Ono, Sir Paul McCartney, Mary McCartney, James McCartney, Sam Taylor Wood, Kate Bosworth, Anouck Lepere, Monty Don, Tom Conran
Hi Goopsters! Hi Gwyneth!
Ok, here’s the story on Meat Free Monday. In 2006, the United Nations issued a report which stated that the livestock industry as a whole was responsible for more greenhouse gas emissions than the whole of the transport sector put together.
I found this interesting particularly because people at the UN are not a vegetarian society and therefore, could not be accused of bias. They pointed out the following facts:
  • The Livestock industry produces gases that are extremely dangerous for the future of our environment.
  • The two main gases, methane and nitrous oxide, are considered to be more harmful than CO2 (methane is 21 times more powerful than CO2 and nitrous oxide is 310 times more powerful than CO2) so the data suggests that this is causing a highly dangerous situation for ourselves and, more importantly, for future generations.
  • Methane also remains in the atmosphere for 9 to 15 years; nitrous oxide remains in the atmosphere for 114 years, on average, and is 296 times more potent than CO2 - the gases released today will continue to be active in degrading the climate decades from now.
  • Livestock production is land intensive: a recent report by Greenpeace on land use in the largest meat producing state in Brazil found that livestock (cattle) production was responsible for vastly more deforestation than soya.
  • A third of all cereal crops, and well over 90% of soya, goes into animal feed, not food for humans. Eating less meat will free up a lot of agricultural land which can revert to growing trees and other vegetation, which, in turn, will absorb more carbon dioxide from the atmosphere.
  • Livestock production is water intensive: it accounts for around 8% of global human water use. The estimated 634 gallons of fresh water required to produce one 5.2 ounce (150g) beef burger would be enough for a four-hour shower. For comparison, the same quantity of tofu requires 143 gallons of water to produce.
  • Livestock production is the largest source of water pollutants, principally animal wastes, antibiotics, hormones, chemicals from tanneries, fertilizers and pesticides used for feed crops, and sediments from eroded pastures.
  • The meat industry is set to double its production by 2050 so even if they manage to lower emissions by 50%, as they have promised to, we will still be in the same position.
With this in mind, my family and I launched Meat Free Monday in the UK, an idea which has been gaining support from people like Tom Parker-Bowles who, after a lifetime of denigrating vegetarians, recently wrote in his Daily Mail column, “I wince at the memory of my boorish antics” and who pronounced himself “intrigued” by MFM: “There’s no doubting the plain common sense of the message…Meat Free Monday is something to really savour”. Another supporter is Al Gore who stated that initiatives like Meat Free Monday “represent a responsible and welcome component of a comprehensive strategy for reducing global warming pollution and simultaneously improving human health."
Even a number of schools have already done this in the UK with great success. The town of Ghent in Belgium has a meat free day and, amazingly, Sao Paulo has one even though Brazil is a large exporter of meat. In Sweden, the government is now labeling food to give the consumer the opportunity to understand the dangers of indiscriminate food consumption and there are many more examples appearing online.
The point is that so many people these days are looking for ways to “do their bit” for the environment. We recycle - something we never would have dreamt of doing in the past. Many people now drive hybrid cars but most people understand that we cannot leave this important issue to the politicians of the world. Recently, at the Copenhagen Conference for Climate Change, this issue was not even on the agenda and so I believe it is once again left to us, the people, to do it ourselves.
It’s amazingly easy to take one day in your week, Monday or any other day, and not eat meat. When you think about it, there are so many great alternatives, for instance, in Italian cooking, so many of the dishes are vegetarian already and Thai and Chinese cuisine are the same. All it means is that you have to think a bit about what you’ll eat that day but, in actual fact, far from being a chore, it’s a fun challenge.
Having been a vegetarian for over 30 years, I find it very simple and in fact, tasty and most enjoyable.
So there it is! Next Monday - don’t eat meat and do your bit to save this beautiful planet of ours. For more information, ideas and lots of meat free recipes, go to the official Meat Free Monday website.
Thanks Goopsters! Thanks Gwyneth!
Rock on ya’ll!
Paul



Stella, Paul and Mary McCartney, founders of the Meat Free Monday campaign.
For readers in the United States, the US based Meatless Mondaycampaign also has a website full of helpful hints and recipes to get you on your way.




Meat Free Monday

I am not a vegetarian, but when I heard about “Meat Free Monday,” I was intrigued. I had never thought about the environmental impact of raising livestock. Below are the facts presented by Paul McCartney, our favorite vegetarian cookbooks, and a meat free dinner recipe from Mr. Chow to get us off to a good start.
Love,
--- Gwyneth Paltrow



publicado por Maluvfx às 19:44
link do post | comentar | favorito

Sábado, 5 de Dezembro de 2009
Paul McCartney - Apelo Vegano





McCartney afirmou que cada um dos habitantes do planeta pode fazer algo para evitar o chamado efeito estufa. Ele sugere que a população modifique os seus hábitos alimentares e substitua a carne pelos vegetais. Notícia RTP!


O ex-Beatle Paul McCartney, apelou à população mundial para se tornar vegetariana afim de deter o aquecimento global e suas consequências.




Fonte




Paul McCartney quer reduzir o consumo mundial de carne


O ex-membro dos Beatles defendeu: «Segundas Feiras Sem Carne» no Parlamento Europeu para proteger o clima
 
Sir Paul McCartney defendeu numa conferência do Parlamento Europeu que, mudando os hábitos de alimentação, abstendo de comer carne uma vez por semana, é possível fazer um enorme impacto nas emissões globais de dióxido de carbono e outros gases de estufa.
«Isto não sou só eu, um vegetariano, a desbobinar», disse o ex-membro dos Beatles na conferência Less Meat = Less Heat (menos carne = menos calor). «Foi um relatório das Nações Unidas [publicado em 2006], chamado «Livestock`s Long Shadow», que fez com que me interessasse pelo assunto».
«Desde então, tem havido mais estudos e, pessoalmente, acredito que há uma necessidade urgente de se fazer alguma coisa: a criação de gado produz mais emissões perigosas [18por cento] do que todas as formas de transporte - carros, avião, camiões - combinadas [13 por cento]», declarou McCartney.
«As pessoas estão confusas; não sabem o que podem fazer - podem tentar, um dia por semana, absterem-se de comer carne», explicou.
Al Gore, conhecido activista ambiental, apoiou as «Segundas-feiras Sem Carne», assim como o cientista indiano Rajendra Pachauri, actual presidente do Painel Inter-governamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC).


publicado por Maluvfx às 12:10
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 1 de Dezembro de 2009
McCartney e Pachauri falam aos políticos sobre o problema da carne





Paul McCartney e Rajendra Pachauri convidam prefeitos e outros políticos para atacarem o excessivo consumo de carne nos países ocidentais. Em uma carta, apontam a relação entre a carne e as mudanças climáticas e sugerem que os governos tomem iniciativas para despertar a consciência sobre o problema em seus cidadãos. O ex-Beatle e o presidente do IPCC também discursarão no Parlamento Europeu em um encontro chamado “Menos Carne = Menos Calor”, no dia 3 de dezembro.



Na carta, McCartney e Pachauri apontam o setor pecuário como responsável por 18% das emissões de gases de efeito estufa. Consequentemente, uma das armas mais poderosas contra as mudanças climáticas bem pode ser… nosso garfo. Porém, McCartney e Pachauri também afirmam que esforços individuais, conquanto importantes, são limitados, e que ‘é também responsabilidade dos governos e das indústrias assegurarem que alternativas sustentáveis como produtos vegetais sejam amplamente disponíveis e acessíveis’. Eles listam algumas iniciativas que os governos podem tomar, como as campanhas por um dia sem carne de Ghent e Hasselt (na Bélgica) e as campanhas Segunda sem Carne de São Paulo (Brasil), do Reino Unido e dos Estados Unidos.

No dia 3 de dezembro, McCartney e Pachauri falarão no Parlamento Europeu sobre o tema ‘Menos Carne = Menos Calor’. Quatro dias antes da Conferência sobre o Clima das Nações Unidas em Copenhage, o evento reflete uma percepção de que as mudanças climáticas precisam ser atacadas em todos os níveis – sobretudo individual, mas também local, regional e nacional na Europa e em todo o mundo.



De acordo com a FAO, a pecuária está entre as três principais causas de qualquer problema ambiental significativo, incluindo a degradação da terra, mudanças climáticas e poluição do ar, escassez e contaminação de água e perda de biodiversidade.1 Comer menos carne (e outros produtos de origem animal) não apenas é saudável para nosso planeta, também é para nosso corpo. Um estudo da OMS mostrou que um decréscimo em gordura saturada de apenas um por cento resultaria em cerca de 13.000 óbitos a menos por doenças cardiovasculares na Europa por ano.2 E na semana passada, um novo estudo da Lancet indica que uma redução na produção pecuária de 30% pode diminuir o número de mortes prematuras por doenças cardíacas em 17%.3



Informações sobre a carta:
Marly Winckler, SVB

(48) 3234 8034 / 9989 5693

svb@svb.org.br

 
Vista-se






Ex-beatle Paul McCartney faz campanha contra o efeito estufa e afirma que virar vegetariano é a melhor forma de reduzir as emissões de CO2


RIO - O cantor britânico Paul McCartney foi duramente criticado na manhã desta quinta-feira, quando falou ao Parlamento britânico sobre vegetarianismo e mudanças climáticas. No discurso, McCartney afirmou que não comer carne pelo menos um dia na semana é uma das maneiras mais eficazes de diminuir as emissões de CO2 que contribuem diretamente para o aquecimento global. Segundo o ex-beatle, cortar a carne do cardápio diminuíria as emissões individuais em até 80%.


Os políticos reagiram ao discurso do músico com piadinhas, trocadilhos e até um convite para almoçar em uma churrascaria. Porém, o ex-beatle não se deixou abater pelas críticas.

- Ao fazer pequenas mudanças na alimentação, uma pessoa pode fazer grandes contribuições ao planeta. A alimentação vegetariana faz bem à saúde e protege a Terra - disse à revista "Parliament Magazine".
" A alimentação vegetariana faz bem à saúde e protege a Terra "

McCartney vai lançar na semana quem vem, no primeiro dia da conferência sobre o clima em Copenhague, a campanha "Meat-free Monday" (Segunda-feira sem carne, em inglês). O cantor quer chamar a atenção dos representantes que participam do encontro e mostrar que não bastam os países se comprometerem com cortes nas emissões. A população deve aprender que cada um pode fazer uma diferença na contenção do efeito estufa.

Representantes das Nações Unidas manifestaram apoio ao ex-beatle. Na reunião no Parlamento, o cantor foi acompanhado por Rajendra Pachauri, membro do painel intergovernamental da ONU para mudanças climáticas, e Olivier de Schutter, enviado especial da ONU para pesquisas sobre alimentação, ambos vegetarianos de carteirinha.

OGLOBO





Paul McCartney lança campanha verde diante de legisladores






O músico e ativista ambiental Paul McCartney impulsionou sua campanha vegetarianista, pedindo aos legisladores do Parlamento Europeu, em Bruxelas, que impulsionem ações individuais para contribuir contra a mudança climática.




O ex-Beatle, cuja maior bandeira é a redução do consumo de carne, acredita que a produção de carne contribui para cerca de 20% a 30% das emissões de gases responsáveis pelo efeito estufa.
Em Bruxelas, McCartney também se encontrou com Rajendra Pachauri, chefe do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês).

A manifestação do música ocorre a dias da Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas, que começa no dia 7 de dezembro em Copenhague.


fonte: Paul McCartney lança campanha verde diante de legisladores


publicado por Maluvfx às 13:25
link do post | comentar | favorito

Domingo, 22 de Novembro de 2009
Paul McCartney e celebridades apóiam dieta vegetariana na luta contra mudanças climáticas




Paul McCartney resolveu apoiar a campanha "Meat Free Monday" (Segunda-feira Sem Carne, em português), em prol do combate às mudanças climáticas.

O músico e suas filhas, Stella e Mary, estiveram reunidos na manhã desta segunda-feira (15.06), em Londres, para apoiar a campanha. Outras celebridades também aderiram à causa, como Yoko Ono; os atores Kevin Spacey e Wood Harrelson; o vocalista da banda Cold Play, Chris Martin; o DJ Moby; a cantora Kelly Osbourne; e o empresário fundador da companhia aérea Easyjet, Richard Branson.

"Deveríamos nos preocupar com a mudança climática porque, se não fizermos isso, deixaremos um problema gravíssimo como herança para nossos filhos e netos", declarou McCartney ao jornal inglês The Independent. O cantor é vegetariano há muitos anos.

Chefs de cozinha britânicos estão se especializando em comida vegetariana e aumentando o número de opções nos cardápios dos restaurantes no país.

Contra as mudanças climáticas, o presidente do Painel Intergovernamental da ONU, Rajendra Pachauri, recomenda que todas as pessoas sigam uma dieta vegetariana ao menos uma vez por semana.

Fonte: Vida Vegetariana


publicado por Maluvfx às 16:03
link do post | comentar | favorito

Paul McCartney no Parlamento Europeu: “Menos carne, menos calor”
Está marcado para o dia 3 de dezembro um encontro entre o ex-Beatle Paul McCartney e os líderes do Parlamento Europeu. Com o tema “Aquecimento Global e Política da Comida: Menos Carne, Menos Calor”, Paul espera discutir no encontro como diminuir o consumo de carnes pode contribuir no combate ao aquecimento global.





O encontro contará ainda com a presença do Dr. Rajendra K. Pachauri, representante do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas, que mostrará aos líderes do Parlamento como encorajar as pessoas a lutarem contra o aquecimento global, o que também inclui comer menos carnes.

O evento acontece das 10h as 12h30 no plenário do Parlamento. Após o encontro, o Dr. Rajendra conversará com a imprensa.

Fonte:Vida Vegetariana

LEIA TAMBÉM 
Presidente do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas incentiva dieta livre de carne
Filha caçula de Paul McCartney já é vegetariana
Paul McCartney e celebridades apóiam dieta vegetariana na luta contra mudanças climáticas
Paul McCartney declara estar furioso com o McDonald's
Paul McCartney pede a população mundial que se torne vegetariana


publicado por Maluvfx às 15:59
link do post | comentar | favorito


mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
14
16
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


posts recentes

Paul McCartney e filhas e...

Paul McCartney faz McDona...

Segunda sem Carne – Apoie...

Feliz '68º' Aniversário S...

Paul McCartney libera som...

Simon Cowell vegetariano(...

Estudo: comer menos carne...

“Meat Free Monday” (Segun...

Segunda sem Carne

Segunda sem Carne

arquivos

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Setembro 2008

Agosto 2008

Junho 2008

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Maio 2006

Dezembro 2005

Outubro 2003

Julho 2002

tags

todas as tags

favoritos

ANTI-TOURADAS

links
blogs SAPO
subscrever feeds