Ética é o conjunto de valores, ou padrões, a partir dos quais uma pessoa entende o que seja certo ou errado e toma decisões. A ética é importante por que respeita os outros e a dignidade humana.

Sexta-feira, 13 de Agosto de 2010
Alimentos orgânicos são mais ricos

Alimentos orgânicos são mais ricos


O consumo de frutas e verduras é fundamental para a saúde. Estes grupos de alimentos fornecem vitaminas e minerais que atuam em nosso corpo regulando processos e prevenindo doenças. Porém, a forma de manejo dos cultivares tem comprometido a quantidades de micronutrientes destes alimentos. A tabela acima mostra que cultivares orgânicos são mais ricos em minerais do que a agricultura convencional. Lição de casa? Procure comprar produtos orgânicos, estimulando os pequenos agricultores da região onde você mora.

Fonte: The 16th IFOAM Organic World Congress, Itália, junho/2008. Contato: ifoam2008@provincia.modena.it
via


publicado por Maluvfx às 06:07
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 12 de Agosto de 2010
Hamburguers Vegetais Orgânicos
O lançamento dos Hamburguers Vegetais Orgânicos da Samurai Organic Foods promove mudança na alimentação das pessoas.

Comercializado em uma embalagem de papelão, contendo 06 burguers embalados a vácuo, a marca aposta em um formato maior para atender a toda a família, e se posiciona para disputar espaço nas gôndolas de congelados dos supermercados com empresas tradicionais no segmento de refeições rápidas.
Neste contexto, os burguers da marca ultrapassam o nicho de mercado de produtos orgânicos e se diferenciam por substituir o consumo dos tradicionais hamburguers de carne com uma opção mais saudável, 100% vegetal e livre de aditivos artificiais.
Antes comercializados somente em embalagens com até duas unidades, os burguers Samurai ampliam sua linha e seguem agora a tendência de potencialização do consumo para atender um público diversificado, e não apenas os adeptos de dietas orgânicas ou vegetarianas com opções nutritivas, nos sabores Tomate, Ervas Finas e Azeitona.
Os burguers de soja orgânica tem um papel importante na difusão de hábitos alimentares saudáveis para o público infantil, numa interação familiar em torno da diversão e do lazer associados ao seu consumo, avalia... (escolher quem vai assinar este depoimento!)
Ao contrário dos produtos similares a base de soja no mercado, os burguers da Samurai se diferenciam no mercado por serem os únicos a base de fibra de soja que preserva todas as propriedades do grão , ao contrário dos demais burguers produzidos com proteína de soja texturizada, que incluem aditivos e conservantes artificiais.
A marca tornou-se conhecida no mercado nacional ao oferecer variedades de tofus e derivados como patês, burguers e espetinhos, sempre com as certificações Ecocert/SVB, que garantem a qualidade de um alimento 100% vegano/orgânico e o manejo sustentável dos recursos naturais em toda a cadeia produtiva.


Ficha Técnica:
Hambúrguers Vegetais Orgânicos
Composição: fibra de soja orgânica e temperos
Sabores: Tomate, Azeitona, Ervas Finas
Certificação Vegano-Orgânico Ecocert/SVB
Validade: 90 dias
Preço Sugerido: R$ 9,00

Mais Informações: Roberto Perin (41) 3399 3349
www.samuraifoods.com.br

via OVERRUNNING!


publicado por Maluvfx às 07:57
link do post | comentar | favorito

Sábado, 7 de Agosto de 2010
Sting e sua esposa Trudie Styler abraçam 'la dolce vita' e vendem os seus produtos orgânicos no coração da Toscania
O cantor Sting, juntamente com a esposa Trudie, são proprietários de uma belíssima propriedade na Toscania, exatamente em Figline Valdarno, na província de Florença. A novidade é que o casal decidiu colocar à venda os produtos biológicos cultivados e fabricados na propriedade.





Os produtos antes eram apenas para exportação, com foco principalmente na Inglaterra (Harrods). Graças aos inúmeros elogios, o casal acabou decidindo abrir um pequeno ponto de venda dentro da propriedade que se chama Il Palagio.

Tenuta il Palagio: loja de produtos orgânicos na propriedade de Stin e Trudie.


Em setembro do ano passado, Sting lançou os seu primeiros vinhos tintos - um Chianti e outro Toscana elaborado com uvas Sangiovese cultivadas na propriedade.


Os terrenos onde são cultivadas as frutas e verduras biológicas, se estendem por 300 hectares e neles, trabalham cerca de 15 pessoas, na propriedade que fica a sudeste de Florença.

Fonte: Daily Mail


publicado por Maluvfx às 12:00
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 2 de Agosto de 2010
Porque consumir Orgânicos?

Sempre que possível, baseia-se no uso de estercos animais, rotação de culturas, adubação verde, compostagem e controle biológico de pragas e doenças. Busca manter a estrutura e produtividade do solo, trabalhando em harmonia com a natureza. 

De formal geral, a agricultura orgânica é baseada em três ideias. São elas: 

  • Cultivo natural: é proibido o uso de agrotóxicos, adubos químicos e artificiais e conservantes no processo de produção.
  • Equilíbrio ecológico: A produção respeita o equilíbrio microbiológico do solo e as diferentes épocas de safra. O processo fica mais sustentável, não degradando a biodiversidade.
  • Respeito ao homem: o trabalhador tem que ser respeitado (leis trabalhistas, ganho por produtividade, treinamento profissional e qualidade de vida).


Para se obter um alimento verdadeiramente orgânico, é necessário administrar conhecimentos de diversas ciências (agronomia, ecologia, sociologia, economia, entre outras). Assim, o agricultor, através de um trabalho harmonizado com a natureza, tem condições de oferecer ao consumidor alimentos que promovam não apenas a saúde deste último, mas também do planeta em que vivemos. 

OS ORGÂNICOS NO BRASIL E NO MUNDO 

O número crescente de produtores orgânicos no Brasil está dividido basicamente em dois grupos: pequenos produtores familiares ligados a associações e grupos de movimentos sociais, que representam 90% do total de agricultores, sendo responsáveis por cerca de 70% da produção orgânica brasileira, e grandes produtores empresariais (10%) ligados a empresas privadas. Enquanto na região sul cresce o número de pequenas propriedades familiares que aderem ao sistema, no sudeste a adesão é representada em sua maioria por grandes propriedades. 

Atualmente, o Brasil ocupa a 34ª posição no mundo no ranking dos países exportadores de produtos orgânicos, sendo que na última década foi assistido um crescimento de 50% nas vendas por ano. Calcula-se que já estão sendo cultivados perto de 100 mil há (hectares) em cerca de 4.500 unidades de produção orgânica espalhadas por todo o país. A maior parte da produção brasileira (cerca de 70%) encontra-se nos estados do Paraná, São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Espírito Santo. Apesar da tendência de crescimento, o Brasil ainda perde para a vizinha Argentina em termos de área certificada para o cultivo de orgânicos na América do Sul. 

Da produção nacional de orgânicos, cerca de 75% é exportada, principalmente para a Europa, Estados Unidos e Japão. A soja, o café e o açúcar lideram as exportações. No mercado interno, os produtos mais comuns são as hortaliças, seguidos de café, açúcar, sucos, mel, geleias, feijão, cereais, laticínios, doces, chás e ervas medicinais. 

Os países com maiores áreas de produção orgânicas são, respectivamente, Austrália com 12,29 milhões de ha; China com 2,3 milhões de ha; e Argentina com 2,22 milhões de ha. Esses países têm como principal atividade nessas áreas orgânicas a pastagem não intensiva. Entretanto, alguns cuidados devem ser tomados na comparação entre países, pois a produtividade é extremamente variável entre eles. O Brasil se encontra na oitava posição, com 880 mil ha. 

Em termos de continente, a Oceania detém 40,7% da área sob manejo orgânico, seguida da Europa com 24,3%, América Latina com 16,2%, Ásia com 10,2%, América do Norte com 7,3% e África com 1,4%.


O Japão hoje é considerado um dos maiores mercados mundiais para produtos orgânicos. Devido à pequena dimensão territorial, a produção orgânica própria é pequena, principalmente se comparada à variedade e volume de produtos que importam, como cereais, legumes, frutas frescas, carne bovina, frango, queijo, entre outros. 

Nos Estados Unidos, os produtores orgânicos certificados produzem principalmente cereais, com destaque para soja e trigo. O desenvolvimento da agricultura orgânica americana tem sido comparado ao da Europa, assistindo um volume de venda próximo dos U$5 bilhões anuais. Segundo dados da Organic Farming Research Fundation (Fundação de Pesquisa em Agricultura Orgânica), aproximadamente 1% do mercado americano de alimentos é proveniente de métodos orgânicos de produção. 

Na Europa o desenvolvimento da agricultura orgânica e do consumo de produtos sem agrotóxico cresce a passos largos. 

No final de 2009, na França, havia 16.446 fazendas orgânicas, um aumento de 23,7% em relação a 2008, e 677.513 hectares de terra orgânica, um aumento de 16% comparado a 2008. O país obteve destaque devido ao aumento significativo de algumas produções animais na linha orgânica, sobretudo o frango orgânico, que teve taxas de crescimento de 135% nos últimos dois anos. 

A Alemanha foi o primeiro país do mundo a criar um organismo para inspeção e controle da produção orgânica e hoje o mercado alemão de produtos orgânicos é considerado um dos mais importantes da Europa. Em 1998, foram contabilizadas cerca de 6.786 unidades de produção (1,9% de sua área total). 

A Áustria é o país da União Europeia com o maior percentual de agricultores orgânicos (8%) e também possui a maior área orgânica proporcionalmente cultivada (10,1%). Em algumas regiões do país, como Salzbourg e Tyrol, 50% dos agricultores já são orgânicos. 

COMO SABER SE É ORGÂNICO? 

Se você pretende consumir alimentos orgânicos fique atento para não ser enganado. Procure sempre pelo selo de qualidade emitido por certificadoras reconhecidas pelo Ministério da Agricultura. São entidades como a Associação de Agricultura Orgânica (AAO), o Instituto Biodinâmico (IBD), entre outros. Essas entidades, ao todo cerca de 30 em todo Brasil, avaliam se a produção do alimento segue os critérios estabelecidos pela agricultura orgânica. Para ganhar o selo, os produtores seguem várias precauções e têm suas lavouras fiscalizadas a cada semestre. A presença do selo garante, portanto, a procedência e a qualidade dos produtos. 

10 MOTIVOS PARA CONSUMIR PRODUTOS ORGÂNICOS 

SÃO ALIMENTOS NUTRITIVOS E SABOROSOS

Com solos balanceados e fertilizados com adubos naturais, se obtém alimentos mais nutritivos. A comida fica mais saborosa, conservam-se suas propriedades naturais como vitaminas, sais minerais, carboidratos e proteínas. Um alimento orgânico não contém substâncias tóxicas e nocivas à saúde. Em solos equilibrados as plantas crescem mais saudáveis, preservam-se suas características originais como aroma, cor e sabor. Consumindo produtos orgânicos é possível apreciar o sabor natural dos alimentos.

SAÚDE GARANTIDA

Vários pesticidas utilizados hoje em dia no Brasil estão proibidos em muitos países, em razão de consequências provocadas à saúde, tais como o câncer, as alergias e a asma. Um relatório da Academia Americana de Ciências, de 1982, calculou em 1.400.000 o número de novos casos de câncer provocados por agrotóxicos. Além disso, os alimentos de origem animal estão contaminados pela ação dos perigosos coquetéis de antibióticos, hormônios e outros medicamentos que são aplicados na pecuária convencional, quer o animal esteja doente ou não. Consumindo orgânicos protegemos nossa saúde e a saúde de nossos familiares com a garantia adicional de não estarmos consumindo alimentos geneticamente modificados.

PROTEÇÃO ÀS FUTURAS GERAÇÕES

As crianças são os alvos mais vulneráveis da agricultura com agrotóxicos. “Quando uma criança completa um ano de idade, já recebeu a dose máxima aceitável para uma vida inteira, de agrotóxicos que provocam câncer”, diz um relatório recente do Environmental Working Group (Grupo de Trabalho Ambiental). A agricultura orgânica, além disso mais, tem a grande tarefa de legar às futuras gerações um planeta reconstruído.

AMPARO AO PEQUENO PRODUTOR

O trabalhador rural precisa ser preservado, tanto quanto a qualidade ecológica dos alimentos. Adquirindo produtos ecológicos, contribuímos com a redução da migração de famílias para as cidades, evitando o êxodo rural e ajudando a acabar com o envenenamento por agrotóxicos sofrido por cerca de 1 milhão de agricultores no mundo inteiro.

SOLOS FÉRTEIS

Uma das principais preocupações da Agricultura Orgânica é o solo. O mundo presencia a maior perda de solo fértil pela erosão em função do uso inadequado de práticas agrícolas convencionais. Com a Agricultura Orgânica é possível reverter essa situação.


ÁGUA PURA

Quando são utilizados agrotóxicos e grande quantidade de nitrogênio, ocorre a contaminação nas fontes de água potável. Cuidando desse recurso natural, garante-se o consumo de água pura para o futuro.

BIODIVERSIDADE

A perda das espécies é um dos principais problemas ambientais. A Agricultura Orgânica preserva sementes por muitos anos e impede o desaparecimento de numerosas espécies, incentivando as culturas mistas e fortalecendo o ecossistema. A Fauna permanece em equilíbrio e todos os seres convivem em harmonia, graças à não utilização de agrotóxicos. A Agricultura Orgânica respeita o equilíbrio da natureza e cria ecossistemas saudáveis.

REDUÇÃO DO AQUECIMENTO GLOBAL E ECONOMIA DE ENERGIA

O solo tratado com substâncias químicas libera uma quantidade enorme de gás carbônico, gás metano e óxido nitroso. A agricultura e administração florestal sustentáveis podem eliminar 25% do aquecimento global. Atualmente, mais energia é consumida para produzir fertilizantes artificiais do que para plantar e colher todas as safras.

CUSTO SOCIAL E AMBIENTAL

O alimento orgânico não é, na realidade, mais caro que o alimento convencional se consideramos que, indiretamente, estaremos reduzindo nossas despesas com médicos e medicamentos e os custos com a recuperação ambiental.

CIDADANIA E RESPONSABILIDADE SOCIAL

Consumindo orgânicos, estamos exercitando nosso papel social, contribuindo com a conservação e preservação do meio ambiente e apoiando causas sociais relacionadas com a proteção do trabalhador e com a eliminação da mão-de-obra infantil.



Maiores Informações: http://www.prefiraorganicos.com.br


E ENTÃO, NÃO SERÁ A HORA DE VOCÊ REVER SEUS HÁBITOS ALIMENTARES?



publicado por Maluvfx às 18:30
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 4 de Junho de 2010
Selo garante que alimento é orgânico
por Nadja Sampaio

Como saber se um alimento é mesmo orgânico? Porque é pequeno respondem uns. Porque a embalagem diz, afirmam outros. O consumidor sabe que o alimento orgânico não tem agrotóxicos nem adubo químico, mas o que ele desconhece é que a maneira de ter certeza de que o produto é orgânico é verificar se tem o selo de uma certificadora. O produtor só pode dizer que seu produto é orgânico se a produção for fiscalizada. Hoje, no Brasil, existem 17 certificadoras, que podem ser conhecidas no site www.planetaorganico.com.br 

Dulcinéia Pereira Lacerda conhece e prefere os orgânicos. Ela trabalha para a Prefeitura do Rio, cozinhando para crianças e idosos.
- Prefiro os produtos orgânicos porque são mais saborosos e duram mais. Mas, para minha casa nem sempre compro porque o preço é mais alto. Hoje, encontrei o preço da alface e da rúcula orgânicas igual ao da alface normal, então, estou levando os orgânicos.
Em 1985 havia 15 produtores, hoje são 331
Mônica Bicudo, presidente da certificadora Associação dos Agricultores Biológicos do Estado do Rio de Janeiro (Abio), diz que Dulcinéia tem razão: os produtos duram mais. Ela observa que quando a agricultura orgânica começou os produtos realmente eram menores, mas hoje existem técnicas que permitem que os produtos cresçam sem que se use nutriente químico:
- Em 1985 havia um grupo de 15 produtores que insistiam na agricultura orgânica e eram considerados malucos. Hoje, são 331 sócios em todo o Estado do Rio.
Outra crítica comum aos produtos orgânicos era de que havia pouca variedade. Mônica explica que hoje produzimos praticamente tudo no Estado do Rio:
- Se a demanda existe, a produção aumenta e o preço cai. Esta é a chave do crescimento.
Para garantir a demanda, a Empresa de Pesquisa Agropecuária do Estado do Rio (Pesagro) está trabalhando num programa específico para orgânicos, que começou no início deste ano. A diretora-técnica da Pesagro, Maria Luiza de Araújo, gerente do programa Moeda Verde - Cultivar Orgânico, diz que a primeira idéia a ser implantada será a colocação de cinco ônibus de Sacolão Volante apenas com orgânicos.
- Pretendemos também que todos os produtos usados na merenda escolar venham dos produtores orgânicos, o que garantiria a demanda e aumentaria a quantidade de nutrientes oferecidos às crianças.
Tina Isidoro começou cedo a trabalhar com produtos orgânicos. Ela é responsável por quatro restaurantes vegetarianos e diz que hoje é possível comprar todos os tipos de hortaliças, legumes e verduras orgânicas no Rio:
- Há 24 anos uso produtos orgânicos e comecei com restaurante há 15 anos em Petrópolis. No início tinha pouca coisa. Hoje temos tudo no Brasil. E a qualidade é boa e estável.
Maria Luiza destaca que outro ponto de grande importância é o financiamento da produção. Ela diz que de agosto a dezembro deste ano serão destinados R$ 500 mil para a produção orgânica do estado, recurso que virá de uma linha de financiamento do Banco do Brasil. Mônica Bicudo lembra que até 2000 se um produtor dissesse que queria crédito para agricultura orgânica não conseguiria:
- O gerente dizia que se o produtor não fosse comprar defensores e nutrientes químicos não teria crédito.
Maria José Bezerra diz que não conhece os selos das certificadoras, mas afirma que reconhece que são orgânicos pelo gosto:
- Sei que são mais saudáveis e não têm agrotóxicos. E só de comer sei quando o tomate e a cenoura são orgânicos, o gosto é melhor.
Jorge Vailati, gerente de certificação do Instituto Biodinâmico (IBD) observa que a certificação envolve todo o processo de produção. Cada certificadora escolhe os parâmetros que vai utilizar. Muitas usam as normas internacionais para que os produtos produzidos no Brasil sejam aceitos nos outros blocos econômicos. Depois de concedido o selo, as produções têm uma fiscalização anual com data marcada e outras visitas-surpresa.
Segundo Vailati, na última década a produção de orgânicos cresceu 30% ao ano e no mundo inteiro movimenta US$ 50 bilhões.
- O consumidor precisa ter a noção de que ao escolher um produto orgânico está mexendo com toda uma cadeia. Por exemplo, o produto orgânico já poderia estar mais barato. Mas se um café orgânico é oferecido ao mesmo preço do café plantado com química, o consumidor vai preferir o orgânico e os produtores dos outros tipos de café vão fazer uma enorme pressão. Muitos supermercados aumentam os preços dos produtos orgânicos para garantir a venda dos outros. Se o consumidor começar a comprar o orgânico, uma hora o produtor do café normal vai sentir que é melhor mudar sua forma de produzir.
Produtos hidropônicos não são orgânicos
Vailati diz que um estudo da Organização Mundial de Saúde constatou que 70% das doenças modernas são resultantes dos hábitos da vida moderna:
- Ou seja, metade do planeta morre de fome e a outra metade morre do que come.
Uma confusão do consumidor é pensar que os produtos hidropônicos, que normalmente estão dispostos nos supermercados ao lado dos orgânicos, são também orgânicos. Nada mais errado, dizem os especialistas:
- O produto hidropônico é produzido em água com grande concentração de nutrientes químicos. As folhas absorvem toda a química, principalmente o nitrato, substância altamente cancerígena. Seis folhas de alface hidropônica têm o mesmo nível de nitrato que seis cabeças de alface orgânica. Isso porque a terra equilibra os nutrientes e nem todo o nitrato é absorvido - afirma Vailati.
Maria Luiza de Araújo diz que a vantagem do hidropônico é para o produtor que precisa de pouca área e pouquíssima mão-de-obra.
Fonte 
em Jornal O Globo em 22/08/04


publicado por Maluvfx às 11:48
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 4 de Maio de 2010
Resmas de papel ecológico e com embalagem ambientalista

Resmas de papel ecológico e com embalagem ambientalista
Grays Harbor Paper produz papel sulfite 100% reciclado, livre de clareadores que poluem o ambiente e certificada de acordo com os padrões internacionais. As embalagens são vendidas exclusivamente na loja virtual Frogfile e foram desenhadas pela agência canadense Change, o estúdio de comunicação que ajuda as empresas a desenvolverem planos de posicionamento dentra própria marca, de olho aos temas relacionados ao meio-ambiente.
Para as resmas de papel da Grays Harbor, a Change idealizou um pacote que sublinhasse todos os cuidados da empresa para reduzir o desperdício e poluição e que pudessem conscientizar os usuários do produto do papel importante que os mesmo podem desempenhar na economia de papel e processo de reciclagem .
Cada embalagem é na verdade um origami: basta cortar e dobrar para ver “nascer” uma árvore. As resmas ainda intactas, empilhadas, formam o desenho de um pinheiro (abeto) com direito a ninho de passarinhos e ovos. Um modo de, mesmo metaforicamente, deixar os escritórios mais verde e com a esperança de que a conscientização faça toda a diferença.
Via: Thedieline.com


publicado por Maluvfx às 06:32
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 19 de Abril de 2010
100% VEGAN! 100% ORGÂNICOS!
cruelty free
Ler mais»





Belezas, segredos  e riquezas

A região amazônica concentra em seu território a maior e mais exuberante floresta tropical da Terra: são mais de 3,6 milhões de Km2 que guardam 20% de toda a água doce do planeta. De acordo com a Conservation International, 70% de todas as especies de fauna e flora presentes em florestas tropicais vivem na região amazônica, o que representa 23% da biodiversidade global. Preservar esse patrimônio é interesse do Brasil e do mundo. O uso sustentável da biodiversidade, cuja premissa é equilibrar a exploração dos recursos naturais com sua capacidade de regeneração, é defendido e incentivado pela ABIHPEC, que estimula as empresas associadas a usar materia-prima certificada, pois essa é a garantia de que os insumos foram extraídos de forma ambientalmente correta, economicamente viável e socialmente justa. A sustentabilidade é a alternativa para melhorar a qualidade de vida de populações indígenas e comunidades extrativistas, respeitando seus conhecimentos e tradições.

Andiroba

O óleo obtido de sua semente tem ação cicatrizante, antiinflamatória, anti-séptica e repelente de insetos. É usado em produtos para pernas e pés, para peles secas e para o couro cabeludo.

Açaí

O açaí é uma palmeira típica da Amazônia Oriental, e produz um fruto rico em agentes adstringentes, antioxidantes e antibacterianos, além de possuir proteínas e as vitaminas A, C, B1 e E. Possui também um elevado teor de antocianinas, pigmentos naturais responsáveis pela cor arroxeada do fruto. O óleo extraído do açaí é composto de ácidos graxos, mono e poliinsaturados e pode ser utilizado em produtos antienvelhecimento cutâneo e pós-sol.

Babaçu

O babaçu é uma palmeira extremamente rica do ponto de vista econômico, pois pode ser aproveitada da raiz às folhas. O óleo extraído de sua semente é rico em ácido láurico, que pode ser empregado em produtos cosméticos, como sabonetes e cremes hidratantes.

Burití

O óleo tirado da polpa tem cor vermelho-alaranjada e composição graxa similar à do óleo de oliva. É usado em produtos que previnem e combatem a ação do sol, em produtos antienvelhecimento cutâneo, cremes infantis contra assadura, fortalecedores capilares e produtos para fios tingidos e danificados. O óleo é rico em carotenóides e pró-vitamina A.

Cacau

Do fruto do cacaueiro são extraídas sementes que, após sofrer fermentação, se transformam em amêndoas, das quais se produz a manteiga de cacau, poderoso emoliente natural. Na indústria cosmética, essa matéria-prima é empregada na preparação de cremes e loções, sabonetes, óleos de banho, batom e preparados para os cuidados com os cabelos.

Café

O óleo natural cru de café é empregado em cremes de tratamento, óleos corporais e produtos capilares. É hidratante, emoliente, condicionante, antioxidante, antiinflamatório e reparador da barreira cutânea. Tem ação estimulante, que revitaliza os cabelos e fortalece suas raízes. Com alto poder adstringente, ajuda a regular o trabalho das glândulas sebáceas e elimina as impurezas do couro cabeludo.

Castanha do Brasil

O óleo obtido da castanha tem uma composição graxa muito parecida ao óleo de gergelim e contém ácidos graxos insaturados e fitosteróis. Atua no tecido cutâneo, formando um filme de proteção que reduz a perda de água da pele, prolongando a hidratação. É usado em produtos pós-barba e antienvelhecimento cutâneo, e em protetores naturais para a pele. Aumenta a hidratação da pele.

Cupuaçu

A manteiga extraída de sua semente estabiliza emulsões e proporciona mais hidratação, além de absorver a radiação UV e melhorar a elasticidade da pele. Contém ácidos graxos de cadeia longa e filosteróis. É usada em produtos que previnem e combatem a ação do sol, em pós-depilatórios e hidratantes em geral.

Maracujá

O maracujá é uma trepadeira natural da região Sul do Brasil. O extrato desse fruto é rico em ácidos graxos, que ajudam na restauração. Do manto hidrolipídico da pele. Possui elevado teor de ácido linoléico. Produtos preparados com essa matéria-prima têm propriedades emolientes, nutrindo a pele e deixando-a macia sem ficar gordurosa, atua também como hidratante. Quando usado em produtos para cabelos, atua como hidratante além de ajudar a restaurar os fios quebradiços, conferindo-lhes força e vida.

Murumuru

Palmeira nativa da região amazônica produz um fruto amarelo, que tem cheiro e gosto de melão. Desse fruto é extraído um óleo usado na fabricação de sabonetes líquidos e sólidos e também em cremes. Possui propriedades emoliente, o que confere ação nutritiva e hidratação para pele e cabelo.

Pequi

O pequizeiro é uma espécie típica da região do Cerrado, o segundo maior bioma do país. As folhas de sua árvore têm propriedades adstringentes e, do seu fruto, o pequi, é extraído um óleo rico em vitaminas A e C. Usado na fabricação de cremes, sabonetes e óleos de banho, ele promove emoliência e tonificação da pele.

Guaraná

Este arbusto, originário da Amazônia, produz uma frutinhas vermelha que, quando aberta revela, no centro da polpa branca, uma semente marrom, que lembra o olho humano. O extrato de guaraná contém cafeína, taninos e saponinas. Por suas propriedades adstringentes e tonificantes, que ajudam a controlar a oleosidade, a indústria cosmética usa o extrato em produtos como sabonetes, hidratantes, xampus e cremes para pentear.

Pitanga

Pitanga, na língua Tupi, quer dizer vermelho. O extrato dessa frutinha, é rico em vitaminas e sais minerais e possui propriedades adstringentes. É usado na fabricação de produtos cosméticos para controlar a oleosidade dos cabelos e da pele, proporcionando uma sensação de limpeza e de frescor.

Copaíba

Palmeira com nome tupi que quer dizer “árvore de que se extrai óleo com propriedades medicinais”. Considerado como uma “farmácia natural”, o óleo extraído da árvore e das flores tem ação cicatrizante, antiinflamatória, bactericida, balsâmica e desinfetante. A presença de beta-cariofileno confere ação antisséptica. É usado na produção de xampus, sabonetes e outros produtos que tratam problemas como caspa e acne e em máscaras relaxantes.

Ucuuba

Da semente dessa árvore é extraída uma gordura amarelada usada na indústria cosmética para produzir sabonetes, cremes e xampus. Tem ação antiinflamatória, cicatrizante e revitalizante, além de ser um poderoso hidratante natural.


publicado por Maluvfx às 14:48
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 9 de Abril de 2010
Arte dos Aromas - Cosméticos 100% Vegetais e Orgânicos

A Arte dos Aromas é uma empresa fabricante de cosméticos naturais e orgânicos inspirados na Amazônia. Segundo o SAC da empresa, representado por Ana Claudia Almeida, “os produtos não tem ingredientes com ativos de origem animal e estão sob norma internacional. Nossos produtos não são testados em animais e são parabenos free.”
A empresa possui certificado orgânico Ecocert.


FonteVista-se


publicado por Maluvfx às 06:48
link do post | comentar | favorito

Arte dos Aromas - Cosméticos 100% Vegetais e Orgânicos

A Arte dos Aromas é uma empresa fabricante de cosméticos naturais e orgânicos inspirados na Amazônia. Segundo o SAC da empresa, representado por Ana Claudia Almeida, “os produtos não tem ingredientes com ativos de origem animal e estão sob norma internacional. Nossos produtos não são testados em animais e são parabenos free.”
A empresa possui certificado orgânico Ecocert.


FonteVista-se


publicado por Maluvfx às 06:48
link do post | comentar | favorito


mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
14
16
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


posts recentes

Alimentos orgânicos são m...

Hamburguers Vegetais Orgâ...

Sting e sua esposa Trudie...

Porque consumir Orgânicos...

Selo garante que alimento...

Resmas de papel ecológico...

100% VEGAN! 100% ORGÂNICO...

Arte dos Aromas - Cosméti...

Arte dos Aromas - Cosméti...

arquivos

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Setembro 2008

Agosto 2008

Junho 2008

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Maio 2006

Dezembro 2005

Outubro 2003

Julho 2002

tags

todas as tags

favoritos

ANTI-TOURADAS

links
blogs SAPO
subscrever feeds